Poetando

eda87afc-c946-4de8-8521-44f4897283b4

Geracionalidade

No despertar para VIDA
Encontram-se os fios tecidos
Na ancestralidade.
Uma colcha multicolorida
Que agasalha, fascina e enreda.

No voo dos tempos
Fios se soltam
Fios se renovam
Fios se cruzam
E as cores se misturam

A colcha muda de forma
Mas nessa tessitura
Fios transcendem
E se reafirmam
as cores remanescentes
da história desta VIDA.

Norma Emiliano

Comments

  • chica
    Responder

    Lindo olhar sobre a vida, a colcha a tessitura que a envolve. ADOREI! beijos, tudo de bom,chica

  • Élys Vianna Gomes
    Responder

    LInda esta sua poesia com um bonito olhar sobre a vida

  • toninhobira
    Responder

    Os fios que se cruzam formam uma rede maravilhosa para se levar pela vida que muitas vezes, pede que se faça os retoques em cada ponto construído.
    Belo texto poético numa bela entrelaçada da analogia
    Inspiração técnica maravilhosa. Norma.
    Beijo

  • Anete Marques
    Responder

    Bonito poetar! A vida e as suas nuances e mutações…
    Viver feliz é uma arte e um enorme desafio. Há história de vida que precisa de bastante compreensão, amor.
    Bj

  • Ailime
    Responder

    Boa tarde Norma,
    Magnífico poema numa analogia muito bem tecida poeticamente.
    Um beijinho e bom domingo.
    Ailime

  • taislc
    Responder

    Muito lindo! Esse cruzamento dos fios só tornam a colcha mais forte, as cores mais bonitas, o visual,,, outro! E assim é nossa vida, tudo depende de uma certa interação, das composições, do trabalho, do efeito.
    Uma ótima semana, Norma!

Sua visita e comentários são muito significativos. Volte sempre.

Get Adobe Flash player
%d blogueiros gostam disto: