O bote da cobra

Dias, 5, 15, 25, projeto da Chica reunindo os amigos  e

selo-botando-cabeça-permanente-1

A imagem proposta traz a representação de um animal na forma de cesta: Cobra. Eu particularmente não me sinto atraída por este animal, pelo contrário ele me assusta e a textura da pele me provoca rejeição. Entretanto, ela pode fazer o mal e o bem:  “O veneno da cobra é como se fosse uma ‘glândula salivar’ cuja secreção é especializada em paralisar, lubrificar e iniciar a digestão da vítima”, explica Marisa Rocha, pesquisadora do Instituto Butantan, de São Paulo. Ao mesmo tempo, esse composto é usado na farmacologia humana em remédios para algumas doenças, como as relacionadas à pressão. Atualmente, estuda-se o seu potencial para a cura de certos tipos de câncer”. Fonte

Então  vamos a minha participação.

1_47anos - Copia

Rastejando

lentamente,

Lá vem ela.

Olhos vivos!

Mira a vítima.

Com elegância ímpar

Dá seu bote.

E seu veneno

Imobiliza

A vítima.

Como predadora

segue seu destino.

Diferente do humano

quando dá

o seu bote.

Norma Emiliano

 

Comments

  • chica
    Responder

    Bem lembrado o poder do seu veneno para a vacina…

    Linda tua poesia e inspiração…E ela após o bote segue, os humanos persistem…Ficou ótima! Obrigadão! Levei o link! chica

  • roseliabezerra
    Responder

    Bom dia, querida amiga Norma!
    Muito linda sua postagem no sentido literal como a fonte de pesquisa mencionada que a gente agradece pois faz o bem para tantos…. como no sentido poético onde, com sutileza, nos revela todo poder e astúcia da cruel serpente que se faz de elegante mas, na realidade, destroi muito mais com sua mira sorrateira…
    Uma certa vez, um religioso disse algo que muito me chamou a atenção: todos de bom senso vemos estampado no rosto o biotipo do mal… só a pessoa que é usada por ele não sabe que percebemos…
    Muito bom passar por aqui… elegância na poesia como a da cobra em relação a nós…
    Muito bela percepção e toda a postagem em si. Parabéns!
    Seja muito feliz e abençoada junto aos seus amados!
    Bjm carinhoso e fraterno de paz e bem

  • Ailime
    Responder

    Boa tarde Norma,
    Uma excelente introdução e um poema magnífico sobre este bicho do qual tenho pavor só de olhar as imagens.
    Um beijinho e boa semana.
    Ailime

  • Toninho
    Responder

    Uma bela inspiração Norma com metáfora presente, que tão bem revestem muitos poemas. Perfeita introdução para o processo de construção da participação.
    Que em nossos caminhos estejamos protegidos destes botes venenosos, bem como dos maldosos.
    Beijo

  • Anete Marques
    Responder

    Ótima participação, Norma! A cobra age pela sua natureza, mas o ser humano, puxa, precisa mesmo de ajuda para não ser tão perverso…
    Um abraço

  • editelima
    Responder

    Olá Norma ! Bela participação e a comparação com os humanos ficou perfeita . Se bem , que muitas vezes um bote só de um ser humano “aleija” o ser para toda vida . Difícil recuperar de botes assim bem mirados . Amei sua participação , com poesia tã interessante e perfeita para a foto sugerida . Abcs , Veja lá minha participação , um pouco tardia , mas valendo .

Sua visita e comentários são muito significativos. Volte sempre.

Get Adobe Flash player
%d blogueiros gostam disto: