Estranhamentos caninos

Em tempo de pandemia

Para um cão, o tempo não segue linha reta, seu caminho não é um contínuo movimento para frente.(…) Descreve um movimento circular como o tempo dos ponteiros de um relógio(…) que giram em círculo , dia após dia, seguindo sempre a mesma trajetória“. Milan Kundera- in A Insustentável leveza do ser.

Para além da racionalidade, apenas um conto…

Os dias estão silenciosos e muita gente sumiu daqui. Porém Raul e Helena estão muito em casa. Eu ando livremente em casa e converso diariamente com meus vizinhos. As varandas nos deixam ver uns aos outros.

Diariamente, tenho feito o passeio pela calçada com Helena, mas me parece que não é o mesmo que fazíamos. Antes de sairmos, calçam os panos nas minhas patas e quando voltamos,  na porta da casa, os tiram rapidamente antes de eu entrar. Não vamos mais ver o mar e não encontro meus parceiros pelas calçadas e, sinto a ausência do jack. Não tenho ido naquela casa para tomar banho e que gosto tanto de ir, saio de lá bem cheirosa. Banho só aqui e num lugar pequeno.  

Estranho, não sei,  mas tem algo acontecendo. As entradas e saídas dos meus donos diminuíram, a Helena não conversa tanto comigo, passe um tempo na cozinha, depois  ela e o Raul ficam juntos:  conversam,  veem TV,  escutam musicas e pulam muito mexendo com pernas e braços.

Eu sigo os dias alegremente, quero brincar com eles, às vezes, penso que não estão me notando. Parecem esquisitos, não sei o que é; meus amigos também me dizem que há algo diferente na vida deles.

Chego a conclusão que não entendo estas coisas de pessoas!!!!

Grata por sua visita.

Norma Emiliano

Comments

  • chica
    Responder

    É verdade! Pra eles também as coisas mudaram… Menos passeios, mais parceria em casa, mas por vezes, mais tristezas rondando! beijos, tudo de bom,chica

  • verena
    Responder

    A intuição dos cães é bem forte e eles podem sentir as emoções humanas sem que seja necessário dizer palavra alguma.
    Um carinhoso abraço
    Verena

  • RUDYNALVA CORREIA SOARES
    Responder

    Norma!
    Que lindo conto.
    Fico observando minhas ‘meninas caninas’ e pensando: que será que elas pensam de nós?
    Adorei!
    cheirinhos
    Rudy

  • LUCIA DE FATIMA SILVA
    Responder

    Um conto lindo e cheio de ternura! Os cachorrinhos daqui, acredito que se questionam muito a respeito de algumas mudanças, mas, por outro lado, estão adorando as atenções recebidas, mais do que antes.
    Beijos afetuosos!

  • Ailime
    Responder

    Bom dia Norma,
    Eu não tenho caninos, mas pela sensibilidade que eles demonstram, devem também estranhar estes tempos de Pandemia.
    Todos nós andamos alterados com nossas rotinas e modos de pensar (e agir), o que se repercute nos bichinhos.
    Beijinhos e bom domingo.
    Ailime

  • toninhobira
    Responder

    Poxa depois do comentário apresentou erro e o comentário nao foi e era longo. Vou tentar recapitular.
    Um lindo conto Norma neste olhar canino diante as mudanças bruscas de comportamentos dos seus donos. Um cão sensibilizado pela quebra de rotina. Outro dia mostraram um cão pela rua vagando pelas portas dos restaurantes e bares, como não entendendo a ausência dos bichos de dois pés, que vez ou outra lançavam alguma comida para ele nas noites frias e longas.
    Os animais nesta pandemia estão sofrendo como muitos humanos Norma.
    Muito bom seu conto.
    Beijo

Sua visita e comentários são muito significativos. Volte sempre.

Get Adobe Flash player
%d blogueiros gostam disto: