Você pergunta 12

Eu respondo

Este post faz parte de um projeto, assim sendo dirijo-me a pessoa responsável pela pergunta,  mas de forma a trazer reflexão para outras pessoas que poderão se interessar e ler .

Tenho uma filha de 22 anos, adotada com nove dias, desenvolveu-se feliz,  mas ficou obesa e fez cirurgia de redução de estômago. Por outro lado, teve dificuldades na aprendizagem, sendo constatado  problema orgânico que foi tratado. Hoje, naõ consegue  terminar as atividades iniciadas, ficar longe da família para estudar e ficar sem um relacionamento. O que faço, pois com tudo isto cobramos e a vigiamos muito?

Cada pessoa é única em suas vivências, sentimentos e percepções. Assim sendo, as respostas fornecidas a cada questão são contextualizadas, não se aplicando necessariamente a todos  os casos.

De uma forma muito geral,  parece-me necessário rever o problema do processamento  das informacões pelo cérebro,  pois quando uma pessoa tem uma dificuldade acaba se desmotivando do estudo, não se concentrando  e pode também prejudicar a autoestima.

Por outro lado, não é comum na idade da sua filha que ela chore por ficar longe da família, há uma dependência emocional excessiva.

As alternâncias de escolha na área profissional (faculdade) deve estar tendo interferência da própria dificuldade orgânica,  mas a parte emocional também  pode estar colaborando.

Pode parecer que ser adotada não faz diferença para ela, mas a relaçao dela de apego  com você, o medo de ficar só,  o ciúme dos irmãos e de  ela não abrir mão do aconchego familiar para um relacionamento pessoal,  são dados que  indicam a necessidade de  minuciosa analise por um profissional.

Cabe neste contexto a terapia de família, pois assim você também seria ajudada para deixá-la caminhar sem tanto apego e os irmãos poderiam criar uma rede de irmandande mais forte.

O relacionamento entre irmãos é um excelente treinamento para vida,  por ser entre iguais, o que difere dos pais que tem uma hierarquia

Na adoção há um cruzamentos de histórias que, muitas vezes, precisam ser desvelados.

Norma

Comments

  • Lizete Ferraz
    Responder

    Gosto muito desse quadro no seu blog. É um trabalho social muito importante que ajuda muita gente. Parabéns!
    Um ótimo dia
    Liz

  • chica
    Responder

    Questionamentos difíceis esses onde só pessoas como tu, capacitadas, podem opinar. Belo teu trabalho!beijos,chica

  • Valéria
    Responder

    Oi Norma!

    Acho que se saber adotada é um ponto nevrálgico pela vida afora. Muitos sintomas que vão surgindo sempre tem um componente que decorre daí, rejeição, medo de abandono, baixa autoestima, e por aí vai. Parece que está tudo bem, mas não está, nunca sara.

    Beijo carinhoso!

  • josé cláudio – Cacá
    Responder

    São situações tão delicadas que na minha opinião os pais deveriam fazer uma terapia junto com os filhos para entenderem melhor os processos seus e do outro para lidarem com mais tranquilidade com os problemas. Abraços.

  • Maria José
    Responder

    Olá Norma. Como psicóloga, aconselharia uma terapia familiar. Como mulher e mãe, aconselharia muita atenção, carinho, amor, conversa franca e aberta. Estou de volta depois de um período de férias. Beijos e saudades.

  • Toninhobira
    Responder

    A questão adoção sempre será uma corda esticada sobre o abismo, muito delicada e creio mesmo, que bem cedo deve-se buscar a ajuda de um especialista independente de formação e ou posição social, pois conheço, pessoas em familias de otima formação e os adotados tem comportamentos, que nos estranha. Muito bom Norma,estes casos colocados aqui, pois os problemas familiares de parecem e repetem em alta velocidade.
    Parabens amiga, nobre seu ato.
    Meu abraço.
    Bju de luz nos seus dias.

  • Yasmine Lemos
    Responder

    Vim desejar um fim de semana de muita paz Norma
    beijão

  • Lisette Feijo
    Responder

    Sempre é importante ajudar a quem precisa, beijo Lisette.

  • Denise
    Responder

    Pois é Norma, parece que nesse caso os comportamentos têm mesmo elementos pendentes do fato de saber-se adotada. Quando permanecem encobertas as causas, a atenção tende a se voltar mais para os sintomas, e, muitas vezes a falta de manejo dessas emoções todas, aumenta a angústia dos envolvidos – razão pela qual a terapia familiar seria indicada.

    Como vc bem lembrou, a situação toda precisa ser contextualizada. Espero que haja a busca e bons resultados para essa família.
    Um beijo, Norma!

  • C.
    Responder

    Mais cedo ou mais tarde vem à tona os reflexos da adocão, penso eu. Nao deve ser fácil lidar com, visto que até problemas com filhos de sangue sao complicados. Espero que a mae leve em grande consideração o que você respondeu…

    Muita paz pra essa família.

Sua visita e comentários são muito significativos. Volte sempre.

Get Adobe Flash player
%d blogueiros gostam disto: