Um carinho

images

Imagem google

A importância da amorosidade é um fato incontestável. Estudos já demonstraram  que pessoas que recebem carinho  quando bebês são mais capazes de lidar com as pressões da vida adulta.  Será este o óleo que  está faltando  nesta nossa engrenagem diária?

Recebi de uma pessoa amiga uma lenda que compartilho com você,  como forma de carinho e reflexão.

A LENDA DO ALGODÃO…

Era uma vez…uma pequena aldeia onde o dinheiro não entrava. Tudo o que as pessoas compravam, tudo o que era cultivado e produzido por cada um era trocado entre eles!

A coisa mais importante, a coisa mais valiosa, era a AMIZADE! Quem nada produzia, quem não possuía coisas materiais, que pudessem ser trocados por alimentos, ou utensílios, davam seu carinho.

O  carinho era simbolizado por um floquinho de Algodão; muitas vezes era normal que as pessoas trocassem floquinhos sem querer nada em troca, ´penas pelo simples prazer de “DOAR” e ver o outro feliz!

As pessoas davam seu CARINHO pois sabiam que receberiam outros num outro momento ou em outro dia.

Um dia, uma mulher muito má que vivia fora da aldeia e que não havia experimentado o prazer de doar; convenceu um pequeno garoto a não dar mais seus floquinhos. Desta forma, ele seria a pessoa mais rica da cidade e teria o que quisesse; iludido pelas palavras da malvada, o menino que era uma das pessoas mas populares e queridas da aldeia, passou a juntar CARINHOS. e em pouquissimo tempo sua casa esta r´pleta de floquinhos, ficando até difícil de circular dentro dela!

Daí então, quando a cidade já estava praticamente sem floquinhos, as pessoas começaram a guardar o pouco de CARINHO que tinham e toda a HARMONIA da cidade desapareceu: Surgindo a ganância, a desconfiança, o primeiro furto, o ódio, a discórdia, as pessoas passaram a se xingar e a se ignorarem uma às outras pelas ruas pela primeira vez.
Como era o mais querido da cidade, o garoto foi o primeiro a sentir-se triste e sozinho. Isto fez o menino procurar velha mulher para perguntar-lhe se aquilo fazia parte da riqueza que ele acumularia…
Não a encontrando mais, ele tomou a decisão: Pegou uma grande carroça, colocou todos os seus floquinhos em cima e caminhou por toda a cidade distribuindo aleatoriamente seu carinho! A todos que dava carinho, apenas dizia:
“Obrigado por receber meu carinho”

Assim, sem medo de acabar com seus floquinhos, ele distribuiu até o último carinho sem receber um só de volta.
Sem que tivesse novamente tempo de sentir-se sozinho e triste, alguém caminhou até ele e lhe deu carinho…Um outro fez o mesmo….e outro…mais outro…até que a aldeia voltou ao normal!!!

Norma

Comments

  • Beth Q.
    Responder

    Bom dia, Norma!
    Ahh que post bonito! Eu penso que dar o carinho é a melhor coisa do mundo, pois isso faz um bem danado a nós mesmos.
    Tenho consciência plena de que sempre dei muito de mim e o que recebi em troca foi carinho também, às vezes não daquela pessoa a quem eu dei, mas de outras ao meu redor.
    um beijo grande, carioca

  • Valéria
    Responder

    Oi Norma!
    A começar por simples gestos de gentileza, o carinho vai fazendo esta engrenagem chamada vida, mundo funcionar harmonicamente, pelo menos para uns. Os mais infelizes são justamente os que menos participam desta corrente. Lindo texto, um belo gesto de carinho, você sempre nos inspira isto.
    Beijinhos menina!

  • Yasmine Lemos
    Responder

    Dar carinho enche a gente de alegria, de uma força incrivel.
    beijos Norma!

  • Yasmine Lemos
    Responder

    Lógico! pode repassar o texto
    bjs

  • chica
    Responder

    Que maravilha de lenda!!!Adorei ler!! Carinho sempre faz bem!!beijos,tudo de bom,chica

  • Denise
    Responder

    Que linda essa lenda…ou essa lição…

    Vc distribui seus floquinhos por aqui, e eu aceito e retribuo com carinho…coisa boa este partilhar!!!

    Meu carinho a vc e a quem por aqui passar!!!!

  • Mary
    Responder

    Carinho dado e recebido, engrenagem da vida.
    Bjs

Sua visita e comentários são muito significativos. Volte sempre.

Get Adobe Flash player
%d blogueiros gostam disto: