Trabalho

trabalho 2

 

 

Para  MARX (1983, p.149), “[…] o trabalho revela o modo como o homem lida com a natureza, o processo de produção pelo qual ele sustenta a sua vida e, assim, põe a nu o modo de formação de suas relações sociais e das idéias que fluem destas“.

 

O mundo atual  nos impõe  a necessidade de uma reflexão sobre  trabalho e  cidadania.

O desemprego têm tido lugar de destaque no debates políticos e sindicais, bem como na imprensa, que nos fornece  estimativas do seu aumento até o final de 2010 ou mesmo até 2011.

O conceito de trabalho é histórico. A forma como o homem se organizou para produzir varia de época para época, tendo em vista os  diferentes contextos sócio-político-econômico-culturais. Hoje, a noção de  trabalho possui  uma estreita relação com o capitalismo, portanto vinculada  com as categorias tempo e dinheiro. (Gorz, 1988).

 Nas sociedades industriais modernas é a participação do indivíduo na produção social que  lhe confere poder social (Offe, 1985) e lhe dá acesso ao  poder político. Na sociedade atual centrada no mercado,  o emprego passa a ser o critério que define a  significação social dos indivíduos

Contudo,  o trabalho assalariado funcionando como o principal intrumento de integração social do indivíduo  é paradoxal,  uma vez que este tipo de trabalho está perdendo sua hegemonia como meio de inserção social.

No livro A desordem do trabalho, Mattoso(1996)  ressalta a insegurança do trabalho, inserindo nela a insegurança no mercado do trabalho, na contratação e na organização sindical.

Segundo estudos do próprio Ministério do Trabalho e Emprego, o índice de trabalhadores com carteira assinada está em declínio.  Por outro lado, também cresce  um segmento de trabalhadores por conta própria e sem carteira assinada.

Portanto, utilizando-me de  palavras de Paulo Freire, (…) “por isso, desde já, saliente-se a necessidade de uma permanente atitude crítica, único modo pelo qual o homem realizará sua vocação natural de integrar-se, superando a atitude de simples ajustamento ou acomodação, aprendendo temas e tarefas de sua época. Esta, por outro lado, se realiza à proporção em que seus temas são captados e suas tarefas resolvidas.” (Paulo FREIRE. “Educação como prática da liberdade”, págs.41 a 44).

Referências

FREIRE, Paulo. Educação como prática da liberdade. 17 ed. Rio de Janeiro : Paz e Terra, 1986.

GORZ, Metarmofose do trabalho, 1988

MARX, Karl. Contribuição à crítica da economia política. Trad. Maria Helena Barreiro Alves; revisão de Carlos Roberto F., 1983

Comments

  • Tida Vieira
    Responder

    Norma
    Prazer em recebê-la no meu blog.
    A Blogagem coletiva da qual participei com o lilás referido já está quase terminando. Mas a sua participação será bem recebida. É só você preparar algum post com a cor
    escolhida e na primeira vez avisar a Glorinha,do Café com Bolo, organizadora da brincadeira,no blog dela http://www.cafecomglorinha.blogspot.com. A cor desta segunda -feira é o alaranjado. Logo teremos outra blogagem nova. Junte-se a nós.Abs

  • Tida Vieira
    Responder

    Seu site é ótimo e valioso. Muito interessantemesmo.
    Virei sempre aqui.
    abs Tida

  • Selma Maria
    Responder

    Parabéns Norma, lindo seu site, todos os assuntos estão maravilhosos e muito instrutivos. Que Jesus a abençoe para que possamos sempre entrar nesta página, muito eficaz para todos nós. Muito sucesso em todos os seus objetivos. Bjs
    Selma

  • Norma Emiliano
    Responder

    Oi Selma

    Grata por sua visita e por seus comentários.
    Volte sempre. Será sempre bem-vinda. Norma

Sua visita e comentários são muito significativos. Volte sempre.

Get Adobe Flash player
%d blogueiros gostam disto: