Raiz Divina

saudade

 

 

Lembranças maternas

Minha mãe faleceu quando eu tinha 43 anos, já estava casada e com duas filhas. Lá se vão 25 anos sem sua presença física, contudo há gestos e toques que ficaram marcados em meus sentidos que são tesouros em minha trajetória de AMOR, pois como já foi observado por certo escritor, ‘a morte termina a vida, não uma relação. “

Celebrar o dia das mães, logo após a sua partida, provocou certa melancolia, mas não me acorrentou a ponto de não poder receber o carinho e alegria das minhas filhas.

Penso que toda filha, em algum momento, sente a falta do porto seguro, do afeto materno, do carinho incondicional recebido durante o tempo de convivência. Mesmo morando distante, semanalmente, tínhamos um encontro selado pelo telefone, pois ouvir a sua voz era reconfortante.

A presença física se esvaia, mas nunca a presença guardada dentro do ser.

 

Aninha e Suas Pedras

“Não te deixes destruir…
Ajuntando novas pedras
e construindo novos poemas.
Recria tua vida, sempre, sempre.
Remove pedras e planta roseiras e faz doces. Recomeça.
Faz de tua vida mesquinha
um poema.
E viverás no coração dos jovens
e na memória das gerações que hão de vir.
Esta fonte é para uso de todos os sedentos.
Toma a tua parte.
Vem a estas páginas
e não entraves seu uso
aos que têm sede

 

Cora Coralina

Feliz dia da mães visitantes e amigas.

Imagem Net

Norma

 

Comments

  • misturebasblog
    Responder

    Lindo poema e as lembranças e saudades ficam pra sempre! Feliz dia! bjs, chica

  • Majo Dutra
    Responder

    Gostei muito da sua postagem, Norma, por ser de grande humanidade e ternura maternal.
    O poema de CC, ficou muito bem integrado e é uma mensagem de esperança para tantas mães que passam por tempos difíceis.
    ~~~ Abraço grande de mãe para mãe ~~~

  • toninhobira
    Responder

    Muito lindo Norma esta sua visão do não esvaziamento da relação. Sei bem disso com a perda de pai e mãe. Há uma coisa incômoda nestas datas, mas que nunca ofuscaram as minhas belas lembranças e são elas que me trouxeram até aqui e busco passar esta alegria aos meus, de que não finda o que sentimos e vivemos.
    Cora aqui cai como uma luva. Conheço bem esta pérola dela e poetizar a vida em cada instante nos faz leve e mais conscientes de todas as emoções que a vida nos coloca no colo.
    Muito linda postagem homenagem.
    Coincidente falamos destas lembranças maternas nos blogues.
    Uma semana maravilhosa para você e que esta relação com as filhas seja cada vez mais respeitosa e amorosa.
    Bjs.

Sua visita e comentários são muito significativos. Volte sempre.

Get Adobe Flash player
%d blogueiros gostam disto: