Qual o seu desejo

Republicação de setembro/2009

desejo

 

“Você nunca recebe um desejo sem também receber a capacidade de torná-lo realidade.”
Richard Bach

Nenhuma pessoa racionalmente busca para si a infelicidade. Mas, é comum não se ter certeza do que se quer em um relacionamento. Assim, sentimentos de insatisfação surgem e se mantêm. Quantas pessoas não permanecem anos amarguradas porque não encontram uma parceria e outras por não conseguirem desatar um relacionamento destrutivo?

Em algum momento você já se perguntou o que deseja da vida e dos seus relacionamentos? A crença de que as “coisas do coração” precisam ser espontâneas leva as pessoas a relutarem na reflexão sobre os relacionamentos. Contudo, ninguém age sem objetivos. Portanto, ter clareza sobre seus propósitos aumenta a chance de sucesso.  Definir o que se quer e a expectativa possibilitam traçar caminho e a não “permanecer” onde você não deseja

Na maioria das vezes, as pessoas detêm-se “no outro” para encontrar respostas para as suas questões, quando as respostas estão consigo mesmo. Responder o que você quer mudar, entrar em contacto com as dificuldades pessoais, detectar as atitudes que precisa ter para conseguir o que almeja, leva à transformação.

As crenças pessoais determinam caminhos, os pensamentos positivos favorecem que se atinjam os intentos. Entretanto, nada é definitivo e, assim, a construção é diária. Há sinais ao longo do caminho que denunciam se a direção está correta.  É comum que não se faça conexão dos eventos cotidianos, dos sentimentos aos sintomas físicos, mas eles são um bom referencial para que se indague se algo não vai bem em sua vida. Desta forma, o investimento na atenção e tempo são condições preponderantes nessa construção.

Como começar este processo?  Na atenção diária aos seus sentimentos e ações. Na atenção aos seus desejos, às suas necessidades. Enfim, ter consciência de si próprio, dos seus limites pessoais, pois se você não se autoconhece dificilmente perceberá o outro.  Acontece com frequência que se veja o outro como extensão de si próprio e desta forma surgem muitas frustrações e consequentemente as mágoas.

Um bom relacionamento é aquele em que as pessoas são próximas o suficiente para dar espaço ao outro de ser o quem ele é, sem as cobranças de suas expectativas pessoais. No momento em que você consegue equilibrar seus desejos e necessidades, poderá compartilhar dos desejos e necessidades com o outro.

Norma Emiliano

Grata por sua visita

Comments

  • taislc
    Responder

    “Acontece com frequência que se veja o outro como extensão de si próprio e desta forma surgem muitas frustrações e consequentemente as mágoas.”
    Perfeito!! Por isso acredito na terapia, um forte ‘remédio’ para o auto conhecimento e o conhecimento dos outros. É uma defesa e garante uma vida de mais qualidade, menos estressante, deixar passar coisas irrelevantes.
    Beijo, um ótimo fim de semana, Norma!

  • chica
    Responder

    Norma, penso que os dois últimos parágrafos falam muito…Temos que primeiramente saber de nos, pra então esperar do outro… Gostei! bjs, chica

  • Ailime
    Responder

    Boa tarde Norma,
    Um artigo muito interessante e profundo.
    Tal como Chica também concordo que os dois últimos parágrafos contêm a chave para um bom relacionamento, claro, não descurando outros aspetos.
    Um beijinho.
    Ailime

Sua visita e comentários são muito significativos. Volte sempre.

Get Adobe Flash player
%d blogueiros gostam disto: