Poetando com

Mia Couto

 

Fomos deixando de escutar

 

3a77863ca069a7849160a9b1ba60c9a8

 

“Me entristece o quanto fomos deixando de escutar. Deixamos de escutar as vozes que são diferentes, os silêncios que são diversos. E deixamos de escutar não porque nos rodeasse o silêncio. Ficamos surdos pelo excesso de palavras, ficamos autistas pelo excesso de informação. A natureza converteu-se em retórica, num emblema, num anúncio de televisão. Falamos dela, não a vivemos. A natureza, ela própria, tem que voltar a nascer. E quando voltar a nascer teremos que aceitar que a nossa natureza humana é não ter natureza nenhuma. Ou que, se calhar, fomos feitos para ter todas as naturezas. “

in ‘Pensatempos’

Comments

  • chica
    Responder

    Bela reflexão mesmo! Triste esse fato. Há ainda os que além de não escutar, nem deixam outros falar. bjs, linda semana,chica

  • Élys
    Responder

    É verdade. precisamos buscar recompor a nossa sensibilidade para fazer renascer a natureza em nós..
    Um abraço.

  • Karina Guite
    Responder

    Necessidade de se ouvir, com a alma e o coração. Linda reflexão!Beijos

  • Diná
    Responder

    Reflexão oportuna, é preciso mesmo aguçar a audição, tirar a venda dos olhos, tomar um porre de sensibilidade e ouvir a voz do outro.
    Abraços!

  • toninhobira
    Responder

    Que possamos acender a chama da sensibilidade e assim refazer atitudes e procedimentos.
    Belo texto Norma.
    Bjs

  • AILIME
    Responder

    Boa noite Norma,
    Um texto sábio de Mia Couto. Grandes verdades nele contidas.
    Temos de rever nossos procedimentos e atitudes.
    Beijinhos,
    Ailime

Sua visita e comentários são muito significativos. Volte sempre.

Get Adobe Flash player
%d blogueiros gostam disto: