Poetando com

Adélia Prado

 

 Casamento[4]

Casamento

 

“Há mulheres que dizem:

Meu marido, se quiser pescar, pesque,

mas que limpe os peixes.

Eu não. A qualquer hora da noite me levanto,

ajudo a escamar, abrir, retalhar e salgar.

É tão bom, só a gente sozinhos na cozinha,

de vez em quando os cotovelos se esbarram,

ele fala coisas como “este foi difícil”

“prateou no ar dando rabanadas”

e faz o gesto com a mão.

 

O silêncio de quando nos vimos a primeira vez

atravessa a cozinha como um rio profundo.

Por fim, os peixes na travessa,

vamos dormir.

Coisas prateadas espoucam:

somos noivo e noiva”.

 

Comments

  • toninhobira
    Responder

    Que beleza da Adélia.
    Uma mensagem linda e critica, mas que faz o romantismo renascido.
    As figuras usadas criam belas imagens ao leitor.
    Apagam-se as luzes e tudo pode acontecer.
    Bela partilha Norma.
    Bjs

  • Ailime
    Responder

    Boa noite Norma,
    Um poema lindo de uma autora que não conhecia e entendo a mensagem.
    Meu marido adora pescar e todos apreciamos peixe e cozinho-o bastante.
    Mas o cheiro de peixe e as escamas a saltarem pela cozinha também não suporto rsrsrs. Sei que ele adoraria, mas actualmente prepara o peixe num outro espaço que temos.
    (Sei que perco alguns bons momentos, mas paciência;))!
    Beijinhos e um bom fim de semana.

  • chica
    Responder

    Que lindo ler Adélia…Adoro! Mas confesso que por melhores que sejam os momentos a dois numa cozinha, escamar peixe? Me poupe,rs… O resto tudo de bom, mas não precisa trabalhar assim,rs..Lindo fds! bjs, chica

Sua visita e comentários são muito significativos. Volte sempre.

%d blogueiros gostam disto: