Poetando

O contato do ser humano consigo próprio e com o outro é  um dos maiores desafios do homem que  luta entre sua autenticidade, o desejo de pertencer e seu crescimento individual.

cativeiro-1

Aprisionamento

*

A alma aprisionada

Nas fortalezas construídas

Despenca  em dores escondidas

O pedido de socorro incompreendido

A incapacidade do dizer

Transformam-se

em mazelas  contínuas

O corpo e alma feridos

Entoam gritos  mudos

No silêncio petrificado.

Que fere e angustia.

Norma Emiliano

Comments

  • toninhobira
    Responder

    Poesia e reflexão numa construção bela da inspiração neste mundo tão complexo da relação o eu interior e o outro em sua vida, onde o aprisionamento faz muitas vezes sua moradia catastrófica.
    Muito boa Norma.
    Bjs

  • taislc
    Responder

    Que grito de angústia, Norma!!! Poderia dizer belo poema, pois a verdade aparece absoluta.

    Toda a memória humana é carregada de mágoas e inquietações. Se eu tivesse o poder de esquecer, eu esqueceria.
    – Charles Dickens

    Beijo!

  • AILIME
    Responder

    Bia noite Norma,
    Uma excelente reflexão e uma magnífico poema.
    Beijinhos,
    Ailime

Sua visita e comentários são muito significativos. Volte sempre.

Get Adobe Flash player
%d blogueiros gostam disto: