Partilha do amor

Na poesia já se profecia que o  amor cura:

O amor… Ah, o amor…
O amor quebra barreiras, une facções,
destrói preconceitos,
cura doenças…
Não há vida decente sem amor!
E é certo, quem ama, é muito amado.
E vive a vida mais alegremente…

Artur da Távola

Em entrevista, o ator Reynaldo Gianecchini fala da sua doença atual, câncer, e expressa a forma como tem conseguido forças para enfrentar esse momento. Fala do apoio que vem recebendo da família, dos amigos e de fãs. “Fui recebendo um amor tão grande das pessoas. E esse amor era tão tocante, acho que fez tão parte do meu crescimento, para buscar essa minha força.”

Jung diz que a medicina sabe que não existem apenas doenças mas pessoas doentes.  Atualmente, especialista já afirmam a importância das interações afetivas na prevenção e cura das doenças. Por outro lado, estudos revelam  uma variedade de evidências para a influência recíproca entre Sistema Psicoemocional e vários componentes do Sistema Imunológico. Portanto, a rede relacional (positiva) amorosa  é extremamente significativa para o bem-estar do indivíduo.

Norma

Comments

  • Lizete Ferraz
    Responder

    E ele continua lindo, mesmo carequinha…!
    Ele vencerá, com certeza!
    beijos

  • Beth Q.
    Responder

    Norma!
    Eu vi pela TV esta entrevista do Gianecchini e fiquei também muito impressionada como ele estava tranquilo e notavelmente cercado de amor, pois é isso mesmo que segura o indivíduo num momento desses.
    O Amor daqueles a nossa volta, daqueles que esperamos muito é ótimo, traz-nos forças e vontade de viver. Posso atestar isso pelo que tenho presenciado nestes últimos dias com uma amiga que está enferma. Como ela está feliz com a família que retornou ao seu convívio! E isso é ótimo, pois as células se renovam e o espírito também.
    Ótimo post, como sempre!
    beijocas cariocas

  • Norma Emiliano
    Responder

    Oi Caca
    Já fiz um post sobre a glândula Timo, fazendo estas conjecturações.
    bjs

  • josé cláudio – Cacá
    Responder

    Oi, Norma. Concordo plenamente que o amor ajuda a superar tantas dificuldades e inclui a enfermidade. Sobre a interligação do sistema psicoemocional com o imunológico, inclusive, li outro dia a respeito da responsabilidade que a glândula Timo exerce nesse mister e achei muito bacana, uma vez que a medicina convencional há muito despreza esta glândula (diziam até que ela atrofia depois da adolescência). Já ouviu dizer que é ela a verdadeira responsável por”administrar” nossas emoções?
    Abraços, paz e bem.

  • Toninhobira
    Responder

    O amor é a força que se apresenta quando nos sentimos abalados e fracos.Somente ele para fazer esta revolução da esperança.Linda postagem amiga.Que estejamos blindados por este amor.
    Meu abraço carinhoso amiga.
    Bju.

  • luma
    Responder

    Pessoas otimistas, em geral, são mais receptivas para a convivência, aceitam melhor os erros do outro e também os erros da natureza. Uma doença é encarada como o “conserto” da falha humana. No vídeo ele fala da caridade, da generosidade, da capacidade das pessoas de doação… uma alma elevada que não tem muito apego às coisas mundanas. Mesmo assim, ele procura apoio emocional entre os que estão na mesma situação e essa ajuda vem de forma mútua, pela troca de energia. Beijus,

  • Valéria
    Responder

    Oi Norma!
    O amor tudo pode! Que força tem este sentimento! Fico feliz por Gianecchini, tem um mundo a sua frente e o amor de muitos. Que isso lhe dê forças sempre!
    Beijinhos!

  • Socorro Melo
    Responder

    Oi, amiga!

    O amor é imbatível! Que bom que Gianecchini está otimista, e sentindo-se envolvido por esta corrente de amor.

    Beijos
    Socorro Melo

  • chica
    Responder

    Amor sempre faz bem e claro, na cura, pode ter grande influencia… beijos,chica

Sua visita e comentários são muito significativos. Volte sempre.

%d blogueiros gostam disto: