Para sempre

 para sempre

 Google Imagem

Desejo um prazeiroso final de semana e agradeço a  sua presença.

Às vésperas do dia das mães, compartilho um poema  que as emaltece em sua eternidade.

 

Por que Deus permite
que as mães vão se embora?
Mãe não tem limite,
é tempo sem hora,
luz que não se apaga
quando sopra o vento
e chuva desaba,
veludo escondido
na pele enrugada,
água pura, ar puro,
puro pensamento.
Morrer acontece
com o que é breve e passa
sem deixar vestígio.
Mãe, na sua graça,
é eternidade.
Por que Deus se lembra
– mistério profundo –
de tirá-la um dia?
Fosse eu Rei do Mundo,
baixava uma lei:
Mãe não morre nunca,
mãe ficará sempre
junto de seu filho
e ele, velho embora,
será pequenino
feito grão de milho.

Carlos Drummond de Andrade

Comments

  • Astrid Annabelle
    Responder

    Feliz Dia das Mães Norma!
    Vim retribuir seu carinho e a sua visita ao meu blog.
    Gostei do seu…já consta entre os meus favoritos.
    Linda a poesia de Drummond…já conhecia, mas sempre vale a releitura.
    Um beijo
    Astrid Annabelle

  • Norma Emiliano
    Responder

    Olá
    Astrid

    Agradeço a sua visita e o carinho.
    Bjs,

  • Rozani
    Responder

    Oi Norma!
    Muito obrigada pela sua visita!
    Linda poesia. Quem dera que mãe vivesse eternamente;
    Seria bom demais!
    Bjs,Rozani

  • Norma Emiliano
    Responder

    Oi Rozani

    Seja bemvinda e volte sempre.
    Obrigada.

Sua visita e comentários são muito significativos. Volte sempre.

Get Adobe Flash player
%d blogueiros gostam disto: