Palavra

Em 2010 publiquei este post, mas não foi comentado, assim resolvi republicar e refletir  sobre o que alterou em mim,

No livro  Comer, Rezar e Amar há uma referência ao fato de que “toda cidade tem uma única palavra que a define, que identifica a maioria das pessoas que mora ali. Se você pudesse ler o pensamento das pessoas que passam por você nas ruas, descobriria que a maioria delas está tendo o mesmo pensamento – essa é a palavra da cidade.”  Nos exemplo citados, para  Roma  a palavra correspondente  é sexo; Nápoles,  é o verbo brigar; Nova York,  é conquistar.

Desta mesma forma, cada pessoa tem sua própria palavra, que pode se alterar pelas diversas etapas da vida. Pensando nessa teoria,  concluo que hoje (2010)  a minha palavra é  o verbo buscar, mas no momento atual (2020) é poesia.

A cidade de Niterói e, principalmente,  meu bairro, foi para mim a concretização de um sonho: morar próximo ao mar.

Diante disto,  como você identifica a palavra da sua cidade e/ou a sua própria palavra?

E você se sente em casa nesta cidade?

Grata por sua visita

Norma Emiliano

Comments

  • chica
    Responder

    Interessante remexer nos posts antigos e encontrar os não comentados. Faz pensar o trecho desse livro. Mostra que depende de CADA UM a palavra que define… Por exemplo,quanto à Roma, nunca a associei com sexo e sim com maravilhas e amor, Nápoles, associo logo com Pizza …

    Quanto à minha cidade, lembro de arborização. Temos muitas e bem cuidadas árvores. Pena estar tão longe do mar e tão insegura! Mas, vamos em frente,rs.

    Adorei tua palavra de antes e a de agora… beijos, lindo dezembro! chica

  • Ailime
    Responder

    Boa tarde Norma,
    Muito interessante seu post.
    Roma jamais associaria a sexo. Conheci há dois anos e achei uma cidade linda, com muita beleza e história.
    As outras não conheço.
    Sobre a minha cidade o que me ocorre é boa localização. Próxima do mar e da serra.
    Um beijinho,
    Ailime

  • Marilene Duarte
    Responder

    Norma, eu gostava muito de São Paulo, onde residi por quase trinta anos. Vim para Belo Horizonte por causa da família e pensei que não ia me adaptar. O começo foi difícil, mas aqui estou. E bem. Lamento que o mar não venha até aqui rss, por ser minha paixão. Belo Horizonte é definida por seus horizontes mágicos, razão de seu nome. Bjs.

  • roseliadosreisbezerra
    Responder

    Boa noite de paz, querida amiga Norma!
    Tenho total identificação com cidades que sejam litorâneas e só as trocaria pelas do campo.
    Amo Guarapari e hoje, no retorno do médico, estive pensando sobre como o lugar me contempla.
    Gostei muito de ler aqui agora sobre isso
    Tenha saúde em todos os níveis do seu ser!
    Bjm carinhoso e fraterno de paz e bem

  • toninhobira
    Responder

    Interessante estas coisas Norma do não comentário de algo que julgamos importante. Já aconteceu comigo com alguns textos, ainda que não fosse zero, teve um ou dois. Mais interessante é esta identificação de palavras, que possam definir uma cidade.
    1- Nasci em Itabira nos anos 50 e, tão auge da Cia Vale do Rio Doce, posso hoje dizer que a palavra VALE pairava na maioria das cabeças, lembro que minha mãe incentivava o estudo para ir trabalhar na VALE e eu menino fui para o SENAI e de lá para a VALE , as pessoas tinha como status. Hoje creio que SAUDADE seja a palavra de todos por lá com a saída gradativa da VALE no cenário.

    2- Morei em São Paulo alguns anos e creio que na década de 70 seria Salário iniciava uma busca por melhores salários. Em Belo Horizonte nos anos 80 apostaria na palavra BARZINHO/MUSICA a cidade era um fervoroso e muita gostosa vida noturna até então sem a violência reinante de hoje.
    3- Em Salvador já 34 anos creio que a palavra que ideal CURTIR dado ao espirito festivo do soteropolitano. Enfim é bem interessante isso, mas pode ser uma escolha pessoal.
    Que bom trazer a postagem Norma.
    Beijo amiga.

Sua visita e comentários são muito significativos. Volte sempre.

%d blogueiros gostam disto: