O poder da leitura

artworks-000242482880-nkr8ta-t500x500

“Arte tem um poder ilimitado na conversão espiritual” Jaeger W.

Post baseado no livro A literatura como remédio, os clássicos e a saúde da alma de Dante Galliam que relata sobre a criação do Laboratório de Leitura, uma experiência estético-reflexiva (LabLei) numa escola de medicina que surge de forma experimental do desejo de humanização diante do cotidiano líquido da contemporaneidade, “do esvaziamento no território da alma, do sonho, do mundo interior” (P.26).  É um convite ao uso de um remédio que nos remete á Antiguidade: histórias.  Quem nunca as experimentou?

A literatura, principalmente, a poesia de Homero fundamentada no poder do exemplo, promove o encontro entre as dimensões estética e ética da experiência humana. Desta forma, apresenta-se como elemento formativo por excelência, um extraordinário poder humanizador. Dante Galliam, 2017.

Esse autor cita Kundera (2006) que ressalta que a literatura percorre regiões da experiência humana e complementa, afirmando, que ela possibilita compreensão do comportamento e motivações humanas de forma mais ampla e profunda, incorporando a emoção, a empatia, a intuição,  ou seja, ao lermos somos afetados, incorporamos historias de outros momentaneamente, ampliando revisões do mundo, do outro e do si mesmo; um potente meio de conhecimento humano e de autoconhecimento.

Contudo, há que se observar a importância de orientação e acompanhamento das leituras, uma interlocução, para que o processo ocorra de forma produtiva no sentido da humanização, sendo  citada a biblioterapia, que utiliza-se de obras literárias como recurso psicoterapêuticos e outros círculos de leituras.

A proposição para criação de grupos através do amor, da paixão e da convicção do proponente é sinalizado como vital,  para que esta tarefa seja o embrenhar numa leitura que lança os leitores numa outra dimensão de espaço, tempo e clima diferente do que é vivido cotidianamente – experiência de “leitura feliz”, despertadora, (afetos e sentimentos). Como se leu? Como se sentiu ao ler?- Histórias de leitura.

“A verdadeira arte é aquela que toca e desperta o coração” e é compartilhada. ” A felicidade só é completa quando pode ser compartilhada”Tolstoi (pg.105).

O resultado surpreendente da experiência  originou o nome do livro, tendo em vista que a prática e avaliação dos encontros mostraram não só um eficaz meio de humanização, mas também uma atividade de efeito terapêutico (testemunho de membros participantes); “um reconhecimento catártico de si no outro através da reflexão, desencadeia o movimento da vontade, que demanda a ação“(p.195). Neste  sentido, o LabLei  “encontra os novos remédios que são as próprias palavras, as próprias histórias que têm um poder mágico e libertador”  (p.107).

Em suas conclusões o autor observa que o remédio redescoberto dinamizado no LabLei já era conhecido e utilizado na terapia de humanização desde Homero até Cervantes. Assim sendo, o mérito atual foi o de reatualização dos poderes terapêuticos deste remédio neste nosso contexto desnorteado  de cronica patologia de desumanização.

   “Desocupa- te, despreocupa-te e, sem pressa, desfruta do substancioso remédio da literatura“.p.212

Eu posso trazer meu depoimento sobre esta medicação.  tendo em vista que  ao percorrer o caminho da leitura, não só dos livros, mas de textos da blogosfera e participar dos projetos de blogagens, nestes anos que aqui me encontro, fizeram-me despertar para interesses diversos da escrita e da criatividade. instrumentos essenciais para a saúde mental.

 

Referências 

Dante Galliam. A literatura como remédio;. Os cla´ssicos e a saúde da alma. Ed. Martin Claret. São Paulo.2017

Jaeger, Werner. Paideia: a formação do homem grego, Trad A.Parreira. Martins Fontes, 2001.

 

Dante Gallian, professor e diretor do Centro de História e Filosofia das Ciências da Saúde da Escola Paulista de Medicina da UNIFESP, criador  do Laboratório de Leitura no Centro. Nasceu em 1966. Este seu projeto recebeu o prêmio Viva Leitura em 2014.

Norma Emiliano

Grata por sua visita.

Comments

  • chica
    Responder

    Interessante esse tema e a leitura só pode fazer bem, acrescentar! Ótima dica! beijos, lindo fds! chica

  • Ailime
    Responder

    Bom dia Norma,
    Um excelente artigo sobre o quanto a literatura nos pode fazer bem.
    Que bom que refere que a leitura diversificada, inclusive dos artigos dos blogues e a participação nas BCs também acrescentam a nossa saúde mental.
    Obrigada.
    Um beijinho e bom fim de semana.
    Ailime

  • toninhobira
    Responder

    Norma li com muito interesse e atento às referencias aqui elencadas com os pensadores. Muito interessante o livro do Dante e despertou o interesse em lê-lo. Esta visão da leitura veio como estimulo ao que já praticamos ao longo de nossa vida e adentrando às participações coletivas onde nos expomos em pensamentos e assimilamos outros.
    Esta partilha merece um tratamento especial e deve ser mais compartilhada.
    Muito boa postagem amiga.
    Beijo.

Sua visita e comentários são muito significativos. Volte sempre.

Get Adobe Flash player
%d blogueiros gostam disto: