O controle

emo_oes_culpa-e1502913556893 (1)

O apego e a possessividade andam juntos, entretanto, na vida não temos  controle de nada, ou melhor apenas podemos cuidar dos nossos pensamentos, escolhas  e atitudes.

Uma parábola

Houve uma vez um monge seguidor de Buda. O monge costumava perambular dia e noite em busca de iluminação. Ele carregava consigo uma estátua de madeira de Buda que ele próprio esculpira e todos os dias queimava incenso em frente à estátua e adorava o Buda.

Um dia ele chegou a uma cidade tranquila e decidiu passar alguns dias lá. Ele se estabeleceu em um templo budista onde havia várias estátuas de Buda. O monge seguiu sua rotina diária, assim também queimou incenso em frente a sua estátua no templo, mas não gostou da ideia de que o incenso que queimava por sua estátua chegasse às outras estátuas.

Então uma ideia lhe ocorreu: ele colocou um funil na frente de sua estátua para que o cheiro do incenso só chegasse a ela. Depois de alguns dias, ele percebeu que o nariz de sua estátua estava preto e feio da fumaça do incenso. Fonte

Quem não gostaria de controlar o que lhe cerca? As incertezas angustiam,  mas faz parte da vida. O desejo de controle é uma prisão. Liberte-se  das amarras…. Não é simples, porém possível….

Por outro lado, na esfera relacional há quem ao se deparar com certos cuidados e/ou preocupações do outro se sinta invadido e controlado. Contudo, quem não se interessa pelo cotidiano e bem-estar de quem lhe cerca é uma pessoa indiferente.

Norma Emiliano

Grata por sua visita

Imagem Net

Comments

  • Roselia Bezerra
    Responder

    Boa tarde de paz, querida amiga Norma!
    Tão bom se sentir leve fruto de um amor precioso que envolve nosso ser e coração.
    Tenho percebido que Deus solta todas as amarras que me prendiam. Agora, fico com quem me dá apoio, carinho e tudo que necessito.
    Por outro lado, dou tudo de mim e perdoo… não guardo rancor, melhor dizendo: compreendo as razões do outro. É amo, simplesmente amo…
    Tão bom e bonito essa capacidade de amar e servir na gratuidade: cuidar, zelar, apoiar, tudo isso da muita leveza… até faz a gente suspirar.
    Gostei muito, amiga.
    Tenha dias felizes e abençoados por Deus!
    Bjm carinhoso e fraterno de paz e bem

  • debbyacacio
    Responder

    Interessante como algumas vezes nos pegamos no apego inconsciente né ?
    Eu tento com sinceridade não guardar rancor, e hoje procuro ao outro que não consegue a minha caminhada alcançar ou entender, olhar com mais compaixão.
    Mas as vezes é difícil.!
    Gostei do texto

  • chica
    Responder

    Beleza de mensagem,…Há tantas amarras, umas reais, outras criadas por nós mesmos… Libertação delas é preciso! Gostei muito! bjs, chica

  • Celina Pereira
    Responder

    Gostei da reflexão. Preciso me policiar.
    Bjs!

  • Ailime
    Responder

    Boa tarde Norma,
    Um post com uma mensagem muito importante.
    Não podemos ser possessivos, mas sim deixar que nossas amarras se soltem! Sobre o apego do outro por nós ou o contrário é muito importante desde que respeitemos o espaço de cada um.
    Um beijinho.
    Ailime

  • Majo Dutra
    Responder

    Excelente reflexão, Norma.
    Gostei muito.
    Bom fim de semana.
    Beijos
    ~~~

  • toninhobira
    Responder

    Que texto maravilhoso Norma.
    Este controle, este zelo muitas vezes é mesmo invasor e muitas vezes as pessoas não percebem esta particularidade do cuidar que invade.
    Excelente a parábola ilustrativa de sua postagem sobre este comportamento complexo Norma.
    Muito bom texto e conclusivo.
    Amar e não invadir.
    Beijo amiga.

Sua visita e comentários são muito significativos. Volte sempre.

Get Adobe Flash player
%d blogueiros gostam disto: