O belo na maturidade

o-consultor-visagista-invade-o-munda-da-beleza-imagem-robson-trindade-005

A passagem do tempo deixa as marcas no corpo e na alma 

Nem sempre a visão do espelho agrada e alguns até a negam. Entretanto, são transformações naturais pelos quais todos os viventes passarão. Dificilmente um jovem tem uma aparência desagradável. Porém, não há como congelar- se a imagem do belo da juventude.

Hoje, quando alguém me diz: você está linda! a ressonância é uma agradável surpresa no sentido em que não considero este elogio como referente ao visualizado fisicamente, mas como estética, considerando-a em sua raiz, ou seja,  palavra com origem no termo grego aisthetiké, que significa “aquele que nota, que percebe”.

Considero que na maturidade há uma expansão do entendimento sobre muitos fenômenos;  vamos além, consideramos que externo e interno se entrelaçam, criando o que Jung denomina de plenitude, desenvolvimento pleno do seu potencial.

Assim, a beleza percebida é a expressão do ser que está em equilíbrio com seu momento, se reproduzindo nos olhos, na postura, no humor, enfim  na alma que ilumina  e transborda.

Em  “Canção da plenitude, Lya Luft, traça com clareza as mutações preciosas das perdas em ganhos

“Não tenho mais os olhos de menina
nem corpo adolescente, e a pele
translúcida há muito se manchou.
Há rugas onde havia sedas, sou uma estrutura
agrandada pelos anos e o peso dos fardos
bons ou ruins.
(Carreguei muitos com gosto e alguns com rebeldia.)

O que te posso dar é mais que tudo
o que perdi: dou-te os meus ganhos.
A maturidade que consegue rir
quando em outros tempos choraria,
busca te agradar
quando antigamente quereria
apenas ser amada.
Posso dar-te muito mais do que beleza
e juventude agora: esses dourados anos
me ensinaram a amar melhor, com mais paciência
e não menos ardor, a entender-te. (…)”

E para finalizar segundo o filósofo Nietzche ” O homem chega à sua maturidade quando encara a vida com a mesma seriedade que uma criança encara uma brincadeira.”.

Norma Emiliano

Imagem Google

Comments

  • toninhobira
    Responder

    Que lindo Norma para este sábado em meio ás confusões do país.
    Lindo em reflexão, analise e poesia e esta difícil arte de envelhecer-se, aqui muito bem esclarecido.
    O pensamento final de Nietzsche define muito bem o que para muitos tem sido uma tortura.
    Compartilho amiga querida.
    Beijos e um domingo alegre para você.

  • chica
    Responder

    Bela poesia da Lya e gosto desse tema que nos leva a pensar…E isso sempre ajuda de uma ou outra forma! bjs, lindo domingo! chica

  • roseliabezerra
    Responder

    Boa noite, querida amiga Norma!
    Lindo seu post e gosto muito de ler sobre envelhecer pois pretendo ser alegre até o fim… a alegria traz inúmeros beneficios para a saúde mental e emocional, transferindo vigor à física!
    Uma criança brinca e é feliz e o idoso é sábío e é feliz… rugas? Não importam…
    Seja muito feliz e abençoada junto aos seus amados!
    Bjm fraterno de paz e bem

  • Lúcia Silva
    Responder

    Uma preciosa reflexão sobre a maturidade, a qual traz novos olhares e novos motivos para sermos felizes.
    Feliz dia, beijos!

  • Ailime
    Responder

    Bom dia Norma,
    Um artigo excelente sobre a nossa condição de viventes na assunção da idade e das alterações a ela adjacentes.
    O poema,maravilhoso, diz tudo de modo eloquente de como se processam essas modificações e a maturidade com que as aceitamos.
    Um beijinho e ótimo dia.
    Ailime

  • Diná Fernandes de Oliveira Souza Souza
    Responder

    Bom dia Norma, maravilha de versos contendo verdades incontestes! Importante é não permitir que as transformações advindas do amadurecimento causem transtornos ou sofrimento,Poema para refletir . Grata por compartilhar esta pérola! Adorei!

    Bjs e um bom dia!

Sua visita e comentários são muito significativos. Volte sempre.

Get Adobe Flash player
%d blogueiros gostam disto: