Ninho de transformação

O seu nome deriva do Latim Aprilis, que significa abrir, numa referência à germinação das culturas. Fonte

É um mês de temperatura amena, outono. Porém começou atípico para todos nós, tendo em vista o surto que assombra o mundo. Mas podemos pensar que traz em sua raiz o verbo abrir, parece paradoxal, pois estamos fechados, recolhidos em nossas moradas. Mas se olharmos por outro lado, pode ser o início da abertura de reflexões sobre o que estamos vivendo de forma global e transformações. Nada é por acaso e, metafóricamente. o virus é invisível, rápido e parou o mundo. No entendimento, da abordagem sistêmica quando não nos damos conta de que não estamos no caminho melhor, surge um sintoma que nos paralisa.

O mundo adoeceu e paralisou. Momento urge de muitas mudanças, ou nos unimos ou seremos banidos? A direção é a reorganização. Estamos tendo que buscar recursos internos para nos adaptarmos a enfrentar o recolhimento, ou seja mudança de hábitos e de atitudes; os governantes reorganizando os planos econômicos e sociais para enfrentar inimigo novo e extremamente mortal.

De acordo com Carl Jung, em seu livro Símbolos de transformação,  “o ser humano e a ave Fênix têm muitas coisas em comum.  “Essa criatura de fogo é capaz de ressurgir majestosamente das cinzas da sua própria destruição, o que simboliza o poder da resiliência, capacidade inigualável de nos transformarmos em seres mais fortes, corajosos e iluminados.”

Como nos diz a música, Renascer das cinzas de  Martinho Jose Ferreira ” Vamos renascer das cinzas. Plantar de novo o arvoredo. Bom calor nas mãos unidas.

Outono.

Grata por sua visita

Norma Emiliano

Comments

  • chica
    Responder

    Muito lindo teu texto e que abril se abra ,trazendo bênçãos e a melhora para o mundo ,ajudando a livrá-lo dessa pandemia! Boa sorte pra todos nós! beijos, saúde,chica

  • roseliadosreisbezerra
    Responder

    Boa noite de paz e saúde, querida amiga Norma!
    Casualmente , estou lendo um livro que diz também muito do que encontro em seu post, ou seja, vem confirmar pista para mim de resiliência, metanoia, capacidade de autoconhecimento (renascer das cinzas, uma vez mais), somos ou devemos ser neste desafio pandêmico uma nova fênix.
    Que consigamos ressurgir!
    Um belíssimo post com um conteúdo que muito aprecio ler.
    Tenha dias outonais “abertos”… Bem como Abril que chegou uma vez mais…
    Bjm carinhoso e fraterno

  • toninhobira
    Responder

    Bonita partilha Norma, desconhecia os significado.
    Outono dos aconchegos parece que nos força a vive-lo efetivamente, com seus vinhos, saraus, fondue e abraços, mas os abraços e reuniões de perderam no rastro do inimigo invisível. Todos falam que este momento nos fara melhores e que haverá muita reflexão, eu ainda fico com um pé atrás, por entender o brasileiro muito liberto e solto. Ele ainda não parece entender ou não quer acreditar na força da coisa e fica naquela de Deus é brasileiro e que aqui será a tal “gripezinha” que o “home” anda falando pelos cotovelos e microfones. Quem pára e pensa, sabe que estamos acuados e vulneráveis e sofre com esta reflexão. O que se vê em outros países desenvolvidos me assusta e fico imaginar como será amanhã.
    Que possamos sonhar e renascer melhor mesmo.
    Uma bela postagem amiga.
    Beijo

  • Calu
    Responder

    A força das imagens simbólicas transfere-nos um sopro de beleza e esperança ante tudo que estamos vivendo.
    Desde menina, quando li sobre a fênix, me apaixonei de imediato sobre sua simbologia. É bastante inspirador o conjunto que vc nos traz, Norma. Imagens positivas, esperanças sempre em renovação…somos resilientes!

    Fique bem, amiga.
    Sds, Bjs,
    Calu

Sua visita e comentários são muito significativos. Volte sempre.

Get Adobe Flash player
%d blogueiros gostam disto: