Infidelidade

Broken heart

Há temas e/ou questões tão complexos, difíceis de serem pensados e, principalmente, serem experienciados. Contudo, fazem parte do universo humano e, assim é importante poder expandir a visão sobre eles.

A infidelidade é uma destas questões. É um rompimento do pacto conjugal e, também, traz à tona os conflitos internos, os pontos vulneráveis da personalidade. Ao ampliarmos o olhar e buscarmos entendê-la a partir do sistema relacional, o foco sai do indivíduo e passa para a relação. Isto significa uma corresponsabilidade na questão. É penoso para aquele que foi traído poder enxergar desta forma.

O relacionamento íntimo, de casal, traz uma complexidade, nem sempre visível, que pode abrir portas para a entrada de um terceiro elemento, desviando a atenção dos envolvidos dos seus reais problemas pessoais e/ou relacionais.

Dificilmente, o casal consegue transpor a infidelidade e fazer dela a oportunidade de reconstruir a relação de uma forma saudável. As mágoas e culpas necessitam ser expostas e redefinidas e nem sempre a dor, o sofrimento da traição permite o olhar mais aguçado. No percurso da infidelidade, na maioria das vezes, há um padrão familiar transcendental e que surge como expressão das dificuldades de transpor obstáculos, de resgatar segredos, etc.

A escolha do companheiro vem embuída de uma série de necessidades inconscientes, e o parceiro  acaba sendo a pessoa com quem mais se busca o confronto pessoal.  Numa relação em evolução cada um dos parceiros busca se autoconhecer e conhecer o outro e vai tecendo sua trama e aprendendo a lidar com seus conflitos internos sem responsabilizar o outro por seus dilemas cotidianos. O diálogo, a troca vai ampliando o conhecimento mútuo e a parceria amorosa cresce na afetividade. Segundo Iara Camaratta “o Eu e o Tu enxergam-se, reconhecem –se e desenvolvem-se”.  Entretanto, esta não é uma prática comum entre os parceiros.

A falta de entendimento, de diálogo, de aceitação do outro trazem mágoas, e, conseqüentemente distância emocional. É comum o casal viver uma crise velada, ou seja, sem confrontos, numa aparente harmonia.  Este é um contexto fértil para a infidelidade. Portanto, a traição não significa que o relacionamento tenha acabado. Há a possibilidade da relação melhorar, mas torna-se necessário a busca de uma compreensão acerca dos mecanismos mais profundos que envolvem a parceria.

 

Norma Emiliano

Grata por sua visita

 

Comments

  • chica
    Responder

    Um tema que não pode deixar de ser bem discutido entre o casal. Pode doer, mas precisa ser falado para que chances existam de continuidade da relação! beijos, chica, lindo fds!

  • taislc
    Responder

    Acho difícil a retomada diante de uma traição, pode até acontecer, mas a confiança e os sentimentos de antes, não serão os mesmos. O coração e a razão não navegam em águas turvas, penso eu.
    Beijo, Norma, um ótimo domingo!

  • toninhobira
    Responder

    Um bom fim de noite Norma.
    Um tema que sempre será uma casca de banana na relação, um apodrecimento e sendo assim dificilmente a retomada será plena, pois haverá sempre a desconfiança, ainda que a parte mude realmente.
    Uma situação complexa e perigosa pois sabe-se que alguém sairá ferido e muito ferido.
    Bela partilha das reflexões elencadas.
    Abraços amiga.
    Bjs de paz e feliz semana.

  • Roselia Bezerra
    Responder

    Bom dia de paz, querida amiga Norma!
    Muito ruim quando não há amor mais no casamento que se arrasta ao longo atá das Bodas de Ouro. Vivi isto em família e é um caos para nós, filhos.
    Muito bom seu artigo.
    Seja muito feliz e abençoada!
    Bjm carinhoso e fraterno de paz e bem

Sua visita e comentários são muito significativos. Volte sempre.

Get Adobe Flash player
%d blogueiros gostam disto: