História familiares

E a Terapia Sistêmica

sistemica

 

Ouvir e contar histórias ”são acervos descobertos ou revisitados, que nos fazem ‘volumosos de ser’. Maria Luiza de Freitas Almeida in Guardados do Coração

 

Nos atendimentos clínicos psicoterápicos sistêmicos somos receptores de histórias, trajetórias de vida que entrelaçam várias gerações e nos permitem localizar nós paralisantes e encontrar ressignificados que libertam.

Quem narra traz a sua percepção e sentimentos em relação às pessoas, aos fatos e às questões.  Para o narrador esta é a verdade e a partir daí cria e tem a visão de si e do mundo. Assim sendo, é importante a escuta atenta e perguntas elucidatórias para que no processo terapêutico algumas dores possam ser dissolvidas e/ou transmutadas em amor.

As forças sistêmicas regem os relacionamentos íntimos, logo, o amor inocente das crianças que se perpetua cegamente, bem como as forças dinâmicas ocultas da ancestralidade afetam a vida dos demais. Bert Hellinger. Desta forma, as histórias expõe padrões de comportamento, crenças, valores, legados. formas de amar que constituem a bagagem levada para todas as relações e que são as lentes pelas quais se entende a vida.

Se nos detivermos num redemoinho não o avistamos até que lance o que sugou para o ar, só o conhecemos por suas consequências no mundo visível, assim se dá com as famílias que através dos sintomas expressam a turbulência sistêmica.

O sintoma é o sinal de alerta e ponto de partida para mergulharmos nas histórias e tirarmos das sombras os nós que impedem o fluir da vida.

O casal é a base da família; na construção da parceria conjugal as bagagens trazidas de suas famílias de origem (pai, mãe, avós) constituem o alicerce para poderem negociar o que comporá esta nova etapa de suas vidas. As rotinas, as habilidades, os afetos, os sentimentos, as escolhas e as decisões passam por fios invisíveis que irão determinar a saúde deste núcleo, a qualidade do relacionamento.

O amor entre os parceiros exige que ultrapassem o apego aos pais, exige a substituição dos antigos vínculos. O domínio e influência dos pais, a mulher da mãe e o homem do pai, impossibilita o alcance da individuação, da maturidade para o relacionamento em igualdade de condições com um parceiro e futuramente como pais.

Portanto, partindo do princípio que todo ser humano se constitui atravessado por uma cruz (Moisés Groisman), cuja linha horizontal é a família nuclear e a vertical, família de origem, inferimos sobre os padrões familiares, obtemos grande quantidade de informações, aspectos familiares através dos tempos, podendo então analisar o problema e extrair recursos potenciais.

Referencias

Guardados do Coração, Avô+Avó= A Voz. Francisco Gregório Filho. 2018

Família Trama e Terapia. A Responsabilidade Repartida,1991

Simetria Oculta do Amor. Bert Heçllinger. 

Imagens- NET

Grata por sua visita

Comments

  • Roselia Bezerra
    Responder

    Boa tarde, querida amiga Norna!
    Uma postagem para se refletir.
    Chamou-Me a atenção a palavra turbulência.
    Penso que, em família, os confusos adoram ver o circo pegar fogo… enquanto os da paz são felizes.
    Sempre leio bons artigos por aqui.
    Seja muito feliz e abençoada junto aos seus amados!
    Bjm carinhoso e fraterno de paz e bem

  • Majo Dutra
    Responder

    Não há dúvida que a psicoterapia executada por profissionais competentes é uma importante intervenção em casos de desvios do equilíbrio emocional ou em certas patologias.
    Gostei de ler, estimada Norma.
    Beijos
    ~~~

  • Toninho
    Responder

    Belo texto elucidativo Norma, onde a ciência sempre busca as informações que permitem recriar passos e ou direcionar. Gosto destas informações e e mergulho na existência humana que nos parece tão complexa.
    Carregamos em nós historias várias e elas falam muito de nós.
    Abraços amiga e boa semana.
    Beijo.

Sua visita e comentários são muito significativos. Volte sempre.

Get Adobe Flash player
%d blogueiros gostam disto: