Fragmento de uma época

SEXUALIDADE-HUMANA-E-SAÚDE1

 

“A sexualidade é um processo simbólico e histórico que expressa a constituição da identidade do sujeito, como ele vive a questão da intimidade ( público versus privado ), da significação das normas, da moral e da ética grupal  ((grupo no qual se insere ). Kahhale,2000,

A sexualidade bem  como tudo nas vida social humana não é algo estático, mas dinâmico, que vai sendo construído e transformado pelas ações do homem sobre o seu meio, que também provocam mudanças no próprio comportamento do homem e na sua sexualidade.  Portanto, com dimensões culturais, históricas, morais e sociais, ou seja, como resultado da evolução cultural da espécie humana em sociedade ( Nunes, 1996 ).

Neste sentido, no decorrer dos séculos muitas transformações ocorreram com consequências significativas na relação do homem com sua sexualidade. Contudo, retomando uma época antes dos anos 60 anos  a iniciação sexual das moças era um tabu. Diversas pesquisas apresentam dados sobre como a sexualidade feminina era reprimida pela sociedade;   as mulheres não falavam sobre sua sexualidade. Havia, desta forma um mistério e uma grande curiosidade sobre os desejos sexuais.

Segundo  Kahhale prazer “é uma experiência dos indivíduos singulares, mas suas referências, suas possibilidades e limites e suas estimulações e impedimentos estão nas relações sociais e na cultura; e é deste lugar que cada um retirá os elementos para construir sua singularidade / identidade” ( p. 184 ).

Neste entendimento,  insiro em forma poética uma vivência desta época

Primeira Paixão

*

A memória guarda

No corpo e na alma

Emoções únicas

Do desabrochar da

 Paixão

*

O corpo esquenta

O  ar se rarefaz

O coração pulsa

Freneticamente

Com a aproximação.

*

Furtivamente

Se encontram

Olhos enfeitiçados

De desejo.

*

Em  apenas um segundo

 Os lábios se tocam

Os corpos se unem

E tudo mais

Desaparece.

*

Momento ímpar

Vivido e encantado

No  ciclo adolescer

De uma rapariga

Em seu despertar.

Norma Emiliano

Referências

KAHHALE, E.M.P. Subsídios para reflexão sobre sexualidade na adolescênciaIn: BOCK, A. M. B; GONÇALVES, M. G. M; FURTADO, O. (Orgs.) Psicologia Sócio–Histórica: uma perspectiva crítica e psicologia. São Paulo: Cortez, 2001.

NUNES, César Aparecido. Filosofia, Sexualidade e Educação: As relações entre os pressupostos ético-sociais e histórico-culturais presentes nas abordagens institucionais sobre a educação sexual escolar. Tese de Doutoramento em Educação Unicamp, 1996.

Comments

  • chica
    Responder

    Que lindo,Norma e tua poesia ficou show! Bem expresso o que acontece… Lindo! bjs, chica

  • taislc
    Responder

    Olá, Norma, a poesia ficou bela, verdadeira, inspirada numa época que era outra, o sentido das coisas relativas à sexualidade era um tanto nebuloso, parecia que o mundo era noutro planeta.
    Pouco se falava em sexualidade, tudo era um tabu. Traço uma comparação dos anos 60 e agora…e vejo um 8 e um 80! Porém a esse ponto que chegamos não saberia te dizer se foi melhor ou pior, só vejo dois extremos. Penso, que agora, o preço ficou alto demais para atitudes muito desmedidas das mulheres nesse quesito. Não te parece?
    Beijo! ótima postagem.

  • Norma Emiliano
    Responder

    Tais ter liberdade, não haver tanta coibição para as mulheres é importante, contudo o que se percebe é que o sonho do conto de fadas permanece,haja visto os rituais de casamento cada vez mais requintados, mas da realidade paga-se como vc menciona para as atitudes desmedidas.

  • Celina Silva Pereira
    Responder

    Bom dia, Norma! Uniu,como sabe fazer , muito bem,neste post psicologia e poesia. Lindo!

  • Anete Marques
    Responder

    Olá, Norma… Gostei de ler o artigo e, principalmente, a poesia… O amor é belo e a sexualidade é um presente de Deus!
    O meu abraço terno…

  • toninhobira
    Responder

    A evolução da espécie humana gradativo e contínua, que muitas vezes nos assustam outras nos alivia de um processo opressivo. Eu lembro Norma que nos 70 um amigo me dizia, que estava se preparando para a filha dele chegar e dizer que ia dormir na casa do namorado ou que viajariam juntos para uma ilha e o tempo chegou e não sei como ele se comportou se assim se processou. Muito bom este post.
    E a poesia é de uma inspiração feliz e bela de libertação do ser mulher sem se prender aos padrões e estereótipos, um tempo duro confuso e ainda marcado por um regime de ditadura politica e junto com a ditadura sobre a mulher(machismo) difícil era o despertar. Muito boa sua poesia em descrever o processo.
    Gostei de sua inspiração á luz da razão e vivência.
    Parabéns Norma.
    Beijo.

Sua visita e comentários são muito significativos. Volte sempre.

Get Adobe Flash player
%d blogueiros gostam disto: