Discutindo a relação

 

As diferenças psicológicas entre os gêneros (homens racionais e práticos; mulheres emocionais e detalhistas) já foram objeto de estudo de vários autores e com diferentes objetivos e, no dia a dia da relação de casais, elas ficam visíveis e de forma negativa quando passam a significar disputas pessoais.

Cada ser humano é singular em suas vivências e percepções. Suas referências pessoais constituem-se em bagagem e direcionam suas escolhas, sentimentos e decisões.

Na vida em comum, o cotidiano é permeado pelas prioridades de cada um dos parceiros que, muitas vezes, não se dá conta de que pode estar ferindo a concretização dos projetos conjuntos. As expectativas sobre a vida a dois podem gerar mágoas, principalmente, quando elas são implícitas, ou seja, não são verbalizadas, dando origem as idealizações.

A praticidade do homem e o detalhismo da mulher podem contribuir para dificultar a comunicação, mas não são a causa dos problemas.Por outro lado, a culpabilização (culpar o outro) não facilita visualizar as corresponsabilidades nas situações ou problemas.

Por onde então começar? Será que se consegue aceitar a alteridade? Como chegar a um consenso sobre os problemas?

A falta de respeito mútuo inviabiliza os relacionamentos. O respeito pela forma de ser do outro pode ser o ponto de partida. Pode não ser simples. Mas um passo é perceber que a sua forma não é a única correta, ela pode ser a melhor para você.  O respeito possibilita a abertura às respectivas opiniões. Empatizar (colocar-se no lugar do outro), tentar corrigir as suas próprias dificuldades, fazer negociações e tolerâncias são outros passos a serem realizados.

Não há união perfeita, nem receitas prontas.  A construção da parceria saudável encontra-se na capacidade de se  ultrapassar as dificuldades, identificando os pontos fracos e  fortes do relacionamento, dando atenção àqueles que precisam ser reforçados.

Pesquisas têm demonstrado que um relacionamento infeliz pode aumentar as chances do adoecimento e encurtar a vida. Por outro lado, parcerias felizes mantêm as pessoas mais saudáveis, pois beneficia seu sistema imunológico, promovendo a longevidade.

 Norma Emiliano

Comments

  • Ana Karla – Misturação Misturão
    Responder

    Bom dia Norma!

    Acho que uma boa relação começa com o respeito e no dia a dia ela vai crescendo.
    Estou certa?

    Xeros

  • Nilce
    Responder

    Oi, Norma

    O respeito mútuo é primordial num relacionamento.
    Na vida a dois, quando sonhamos sozinhos é apenas um sonho; quando sonhamos juntos este sonho se torna uma realidade.

    Bjs no coração!

    Nilce

  • Tetê
    Responder

    Oi Norma! O respeito às individualidades é tudo num relacionamento. Acabou o respeito, acabou a relação! Se entre irmãos, criados com os mesmos costumes há diferenças, o que se dirá de duas pessoas totalmente diferentes? As diferenças precisam se somar! Obrigada pela visita! Bjks Tetê

  • Lúcia Soares
    Responder

    Norma, sempre fiz essa afirmação: respeito é tão importante que acho que pesa mais do que o amor!
    O amor inicia uma relação, mas se não há respeito, compreensão, admiração entre os parceiros, é difícil a convivência.
    Muito bom o texto.
    (já arrumei seu endereço, certo? Perceberia logo que viesse visitá-la. Coloquei-o ontem, acho que copiei de outro blog, mas erradamente, lógico. )
    Beijos!

  • Beth Q.
    Responder

    Sim, Norma, concordo também que o respeito é tudo nas relações matrimoniais. A falta disso resulta em casais grosseiros publicamente e diante dos filhos, o que é péssimo.
    bjs cariocas

  • ANA
    Responder

    gostei!

Sua visita e comentários são muito significativos. Volte sempre.

Get Adobe Flash player
%d blogueiros gostam disto: