Com Hilda Hilst

 

1930-2004.

PicMonkey Collage

Graduada em direito foi escritora e poeta,  tendo comportamento muito avançado para sua época.

Seus primeiros livros datam de 1950, “Presságio”,   1951, “Balada de Alzira”.  Em 1959 publica o livro de poesia “Roteiro do silêncio” e “Trovas de muito amor para um amado senhor. Foram muitas suas obras, inclusive para o teatro. Assim, consagrou-se e na poesia, na dramaturgia e na prosa narrativa.

Ganhou vários prêmios.

 

“Aflição de ser eu e não ser outra.
Aflição de não ser, amor, aquela
Que muitas filhas te deu, casou donzela
E à noite se prepara e se adivinha
Objeto de amor, atenta e bela.

Aflição de não ser a grande ilha
Que te retém e não te desespera.
(A noite como fera se avizinha)

Aflição de ser água em meio à terra
E ter a face conturbada e móvel.
E a um só tempo múltipla e imóvel

Não saber se se ausenta ou se te espera.
Aflição de te amar, se te comove.
E sendo água, amor, querer ser terra.”

Eu particularmente gosto muito desses seus dizeres:

” Que canto há de cantar o indefinível?
O toque sem tocar, o olhar sem ver
A alma, amor, entrelaçada dos indescritíveis.
Como te amar, sem nunca merecer?
Amar o perecível,
o nada,
o pó,
é sempre despedir-se.”

Há muito para se ler saber sobre esta mulher que teve grande destaque na literatura. Foi consideradas uma das mais importantes vozes da Língua Portuguesa do século XX.

Conheça Portal cultural Hilda Hilst

Norma

Comments

  • chica
    Responder

    Bela poesia que escolheste dessa grande mulher! Linda! bjs, tudo de bom,chica

  • Toninho
    Responder

    Que maravilha Norma, fazia tempo que não lia nada sobre ela.
    Você trouxe uma bela postagem de um mulher e o seu tempo.
    Sua escolha pessoal é funda e linda.
    Grato pela partilha.
    Abraços e belo dia Norma.
    Beijo.

  • Suzana Martins
    Responder

    A Hilda respira poesias até escrevendo uma receita de bolo. rs…
    Gosto demais desses versos que adoçam a alma!
    Linda escolha!

    Beijos querida!!^^

  • Tetê
    Responder

    Oi Norma! Essa realmente viveu imersa em poesia! E essa que você destacou é uma das mais bonitas! Atrasei para a postagem de aniversário, mas hoje postei minha participação! A festa está linda! http://sempredebemcomvida.blogspot.com.br/2014/08/familia-assunto-sempre-atual.html Bjks Tetê

  • marli soares borges
    Responder

    Oi Norma
    Hilda Hilst é outra de minhas preferências, de longa data. Hoje em dia virou cult dizer que adora Hilda Hislt, mas, no passado recente a história era outra e todo mundo a ignorava. Mas com sua inteligência impar, ela planejou e soube dar a volta por cima. Poucos sabem como essa reviravolta aconteceu. Eu a admiro demais: na poesia e principalmente na prosa.
    Bjs
    Marli
    http://marliborges.blogspot.com.br/

  • Milton
    Responder

    Olá, estou passando para conhecer seu trabalho, por indicação do amigo Veloso.
    Cordial abraço.

Sua visita e comentários são muito significativos. Volte sempre.

Get Adobe Flash player
%d blogueiros gostam disto: