BC- Amor aos pedaços

Esta é a minha participação na blogagem coletiva Amor Aos Pedaços sob a coordenação das amigas Luma ROSA;   ROSÉLIA;   RUTE, em sua segunda fase.

amor_aos_pedacos25

Desencanto

“Aprendi com as primaveras a deixar-me cortar e a voltar sempre inteira.” Cecília Meireles

A experiência humana é pontilhada por sentimentos ambivalentes. Sentimos amor e ódio, alegria e tristezas, encantos e desencantos.

No filme o Amor em Cinco Tempos, vemos uma cena linda de um casal dançando colado, puro romance!  Em outra, eles se atacam como se não se conhecessem.   A transformação surpreende com os novos sentidos

O tempo da conquista é inebriante, os dias se colorem e os detalhes na atenção ao outros são privilegiados. Por outro lado, quando as expectativas se frustram e a rotina se instala, a ilusão romântica se esvai e o desencanto floresce. Vivemos insistindo na crença de que algumas coisas são verdadeiramente eternas e, por vezes, nos descuidamos da percepção da renovação.

Não colocamos em nossas concepções a idéia da impermanência, tão enfatizada por outros povos.  A impermanência significa que tudo muda e que nada permanece o mesmo em dois momentos sucessivos. Portanto, encanto e desencanto fazem parte da mesma moeda.  Nas palavras de Niztche “onde cresce a dor e o sofrimento também crescem a felicidade e a alegria”.

Alguns indivíduos paralisam na dor do desencanto, fechando-se para o amor; um dia acordam e percebem que a vida passou e deixou de vivenciar novas experiências. Não que eu considere que a felicidade encontra-se no outro, todavia é através das relações que podemos nos encontrar (autoconhecimento).

O ser humano é complexo e as relações trabalhosas. Contudo, apesar dos desencantos, meu sentido de vida pessoal e profissional encontra- se nas interações interpessoais e o pensandoemfamilia é uma das formas encontradas de demonstrar esse investimento pessoal.

Sempre há tempo de poder olhar através da esperança, sentir o Sol e ver a Lua e as Estrelas brilharem no firmamento.

Norma Emiliano

Comments

  • Roselia Bezerra
    Responder

    Olá, querida Norma

    “Tu és o orvalho que me beija”…
    (Meliss)

    Em pleno período pascal nos reencontramos para tecer o nosso Desencanto… entrelaçar partilhas de coração a coração…

    Amiga, lendo o seu relato me reportei a algo que tinha lido nesta semana:
    “Como pode alguém dizer que ama e simplesmente “partir para outra”. Não é isso que os modernos fazem? Amam e fazem do amor uma competição, uma seleção para escolher com quem se fica. Acorda: a gente não escolhe amor, o amor vem, aponta o dedo no meio da nossa cara e diz: é você que eu quero! Cupido? Balela! O amor age por si.”
    O seu Blog é uma forma de encamtar a sua vida e a anossa com tanto aprendizado…
    Se nota que vc não se desencanta fácil… sempre procurando embelezar os posts…
    Nós, mulheres de fibra, amamos e o Desencanto (não procurado) não vai tirar brilho algum de outros amores que temos…
    Deus não merece o não gosto pela vida que Ele nos deu apesar do coração estar massacrado… DESENCANTADO… afinal: o amor age por si só…

    Obrigada por sua participação e nos vemos no próximo mês se Deus quiser!!!
    Bjs de Paz e Esperança junto com o meu carinho fraterno

    “Meu coração orvalhado
    pleno de gratidão,
    agradece a Deus”…
    (Élys)

  • Emanuel J Santos
    Responder

    Belíssimo texto. E difícil de escrever sobre esse tema, não?
    Minha contribuição: http://migre.me/8GBkK

  • Eva
    Responder

    Norma querida, obrigada pelo seu comentário, na minha participação também da blogagem coletiva, fiquei muito feliz pela oportunidade de seguir seu blog, estou seguindo pelo twiter, nao encontrei campo para seguir por aqui também, se tiver alguma forma, me avise. Muito linda sua participação, o texto é belissimo e nos faz refletir, adorei! bjos, muito prazer e linda semana para você.

  • Lúcia Soares
    Responder

    “O ser humano é complexo e as relações trabalhosas.”
    É isso, Norma, bem sinteticamente.
    Colocamos no outro NOSSAS expectativas. E quando não acontece, vem o desencanto…
    Beijo e boa semana!

  • Clara
    Responder

    Norma, primeira vez que vim aqui e vou continuar….
    Apesar de minha família ser só eu e meus filhos, é muito importante sempre aprendermos algo.

    Desencantos acontecem, machucam, mas nos fazem crescer, amadurecer….

    Um ótimo domingo pra vc!
    Beijoss

  • Valéria
    Responder

    Oi Norma!
    Uma bela reflexão! O nosso viver é forjado por ambivalências, o encantamento e o desencanto nos puxam para baixo ou para cima, nos alegra ou nos entristece, mas é assim que é, o importante é não se deixar vencer nunca.
    Beijinhos e uma iluminada semana!

  • Denise
    Responder

    “O ser humano é complexo e as relações trabalhosas” sintetiza uma vasta explanação do que são as relações interpessoais que nos “fazem o que somos”.

    A dicotomia que nos faz transitar nos nossos lados luz e sombra é o ponto de compreensão daquilo que poderíamos ter sido, do que somos e viremos a ser….autoconhecimento.

    Gostei muito da tua forma de discorrer o assunto. Como sempre!
    Bjos

  • Rute
    Responder

    Olá querida Norma,
    é sempre prazeroso ler seus textos. Transparecem muita calma e discernimento. Concerteza você é excelente conselheira. Sua maturidade emocional conforta e ilumina.
    Obrigada por tão belissima participação.
    Beijinhos além-mar.
    Rute

  • Adao Braga
    Responder

    Já identifiquei pontos semelhantes entre todos os textos desta blogagem coletiva, nesta segunda fase. Observe que a maioria dos escritores veem neste ângulo em que você sintetizou magistralmente com estas palavras:

    O ser humano é complexo e as relações trabalhosas. Contudo, apesar dos desencantos, meu sentido de vida pessoal e profissional encontra- se nas interações interpessoais

  • sandra portugal
    Responder

    Belíssima participação na Blogagem Coletiva!
    Parabéns!
    bjs Sandra
    http://projetandopessoas.blogspot.com//

  • Mary
    Responder

    Lindo, realmente ficamos tanto tempo adormecidos no desencanto, que quando acordamos percebemos que deixamos muito para trás.
    bjs

  • maria luiza saes de rezende
    Responder

    Muito bom seu relato sobre o desencanto, cuja frase sua “O ser humano é complexo e as relações trabalhosas, já diz tudo! Parabéns e obrigada pela partilha! Grande abraço!”

  • Luciano A.Santos
    Responder

    Norma, concordo com você. Temos uma cultura que nos impele a ter grandes expectativas, e raramente nos preparamos para “o pior”. Excelente texto.

  • Socorro Melo
    Responder

    Norma,

    Excelente artigo, amiga. É imprescindível que saibamos reinventar, recriar, e acima de tudo ter fé na vida e em nós mesmos, para removermos as montanhas das ilusões. Porém, a consciência da impermanência deve ser constante em nós. encontros e desencontros, encantos e desencantos, fazem parte do nosso processo de vida, da nossa história.

    Grande abraço
    Socorro Melo

  • Roseli
    Responder

    Olá Norma,
    É sempre bom participar das blogagens coletivas e conhecer outras pessoas e seus universos que são seus blogues. Gostei demais de sua reflexão sobre o desencanto. Te aguardo por lá.
    Abraço

  • Lu Souza Brito
    Responder

    Oi Norma,

    Obrigada por seu comentario na minha participação nesta blogagem.
    O desencanto vem pouco a pouco ne? Mas é mesmo importante dar espaço para a renovação, como você mesma disse.
    Um beijo

  • Toninho
    Responder

    Nada facil entender e viver a ambivalencia. A gente vai sempre esbarrar na questão equilibrio.Otima sua cosntrução para este belo exercicio.
    Uma bela semana amiga.
    Meu abraço de paz e luz nos seus dias.
    Beijo.

  • Maria Luiza
    Responder

    Olá Norma.
    Acho que desencanto não existe somente entre homem e mulher, marido e esposa. Desencanto temos em todos os seguimentos na vida.
    Gostei de sua postagem, bem esclarecedora.
    Beijos
    Maria Luiza (Lulú)

  • Anne Lieri
    Responder

    Norma,muito linda sua participação!Eu tb apesar de todo desencanto que há na vida, procuro sempre me encantar de novo!Bjs e boa semana!

  • Debby
    Responder

    Oi Norma
    Lindo o seu texto.
    Maravilhoso e essa sua ultima frase completamente arrebatadora.
    Parabéns
    E obrigada pelo visita em meu cantinho.
    Parabéns por excelente blog
    Debby 🙂

  • Lina
    Responder

    Olá, Norma!Que maravilhosas reflexões o seu texto me proporcionou. Na verdade mesmo quando amamos alguém e temos um relacionamento “eterno” os pequeninos desencantos acontecem, e temos de ter maturidade para superá-los e acompanhar a mutação e evolução do outro e a nossa. Gostei de pensar nisso!
    Parabéns pela brilhante participação!
    Beijinhos

  • luma rosa
    Responder

    Norma, estou atrasadinha para visitar os bloggers amigos, mas duas blogagens simultâneas estão me deixando doidins… 😀
    Você fechou a sua postagem como que antevendo qual seria a próxima fase – Garota esperta!!
    Dizem que nunca é tarde para sermos felizes, mas pode ser tarde para acordar e perceber que não somente a vida passou, mas também passaram as pessoas que dividiram suas vidas com a nossa. Também não considero a felicidade encontra-se no outro, porém um bobo alegre vai contar sua felicidade para quem? 😉
    Obrigada por participar mais uma vez dessa empreitada! Vamos seguindo questionando e refletindo, alimentando nossos corações com pensamentos bons e refletindo felicidade para o outro, pois não é que, o que bate volta?

  • Bel Rech
    Responder

    O tempo é o melhor remédio para o desencanto, eu creio…Mas temos opções para seguir , mesmo que as cicatrizes teimem em aparecer de vez em quando, pois o que marca a gente não esquece, por mais que perdoamos o passado.
    Desculpe o atraso em meus comentários…não estou desencantada , estou atarefada…beijo
    Paz e bem

Sua visita e comentários são muito significativos. Volte sempre.

Get Adobe Flash player
%d blogueiros gostam disto: