BC Amor aos Pedaços- 5 fase

Esta é a minha participação na blogagem coletiva Amor Aos Pedaços em sua quinta fase,  sob a coordenação das amigas Luma ROSA;   ROSÉLIA RUTE, em sua 5 fase – Reintegração.

amor_aos_pedacos43

Costurando retalhos

Texto reeditado, publicado em 2009

No decorrer da vida, muitos momentos ultrapassam as fronteiras do aqui e agora se transformando em emoções e sentimentos retidos, que nos congelam no tempo. Contudo, outros momentos nos chegam e nos ajudam a desatar os nós e a seguir em frente. Assim costurando estes momentos, forma- se e transforma- se as imagens do Ser.

Os pensamentos voam e trazem à memória a infância colorida e adolescência fantasiosa. A música, a dança, os bailes. Ah! belos recortes. Amor eterno amor; sonhos constantes com o meu amor. Horas e horas a fio, à espreita da sua passagem para uma simples troca de olhar. Tantos dias, semanas e anos, a espera de um grande acontecimento. Porém, tu e eu não se entrelaçam e traçam caminhos diversos. Entretanto, o romance, a idealização, o sonho adolescente se mantiveram.

Novo encontro, nova vida, compromissos, ganhos e perdas. Casamento, filhos, carreira, nascimentos e mortes. Sucessão de eventos, importantes nas etapas do ciclo vital individual e familiar.

Idas e vindas pelas histórias. Entre encontros e desencontros, nascimentos e mortes, perdas e ganhos na roda da vida tudo foi sendo passado a limpo. A criança mimada, a adolescente responsável prematuramente, a mulher sonhadora,  entre a ilusão e a realidade, trazem à fase da maturidade novos matizes.

Após a conquista, o ponto de atração trai e em meio à desorganização, o Ser se perde e se acha e, facetas reprimidas, algumas ainda desconhecidas, despontam.

Amar e encontrar no olhar do outro a mulher inteligente, sedutora e desejada, traz à tona o momento lírico do amor adolescente. Jogos de olhares, de palavras e gestos. Amor vivido na forma de sentimento anteriormente retido. Na expansão e na expressão dos sentimentos a possibilidade de poder partir e recomeçar uma nova história, na qual ambos os amores se entrelaçaram libertando a mulher adolescente.

Muitas são as estradas e em cada uma surge uma encruzilhada. Das escolhas, (inconscientes), “sempre certa do parceiro”, vão aflorando as emoções congeladas que urgem em se derreter. No calor dos novos encontros e momentos algumas emoções vão se desfazendo e inundando  este antigo novo Ser.

Estar no aqui e agora liberta, resulta de poder se abrir para permitir que o autoconhecimento vá além da subjetividade, que as experiências  aconteçam, que o olhar se expanda para além do momento presente, que o passado seja confrontado e os retalhos possam ser costurados.

Hoje, acrescento a esse texto, finalizando os caminhos percorridos na  BC do “Amor aos Pedaços” e colocando-me diante da minha atual etapa de vida: terceira Idade, que a cada etapa da vida foi vital  construir  e reconstruir pontes de mim  mesmo  e, desta forma  me reintegrar para enfrentar os novos desafios físicos, mentais e emocionais.

Uma boa auto-imagem e o amor próprio são os alicerces para uma vida pessoal e interpessoal saudáveis.

Amigas queridas,  percorremos as fases do Amor aos pedaços construindo, desconstruindo  e reintegrando partes deste todo que é Viver. Obrigada pela oportunidade de somar os meus pedaços a todos  que participaram dessa blogagem.


Norma Emiliano

Comments

  • Emanuel J Santos
    Responder

    Enfim, acabou.
    Acabou, mas como vivemos em círculos e espirais, encantamentos, desencantamentos, esperanças, se integram e reintegram em nosso cotidiano.
    Vivemos. E sobrevivemos a tudo.
    Obrigado pela participação. E sigamos em Conversas Cartomânticas.

  • Lizete
    Responder

    Que texto lindíssimo, Norma!! de uma delicadeza terna a viagem que nos faz fazer pelos seus eus, de menina à mulher madura bela que se tornou. Belíssimo texto, parabéns!!
    Beijs com carinho

  • chica
    Responder

    Linda tua participação e adorei pois a cada fase, aprendemos umas com as outras. beijos praianos,chica

  • Lulu
    Responder

    Norma, parabéns pelo texto muito bem escrito. Com a maturidade, aprendemos a enxergar melhor todas as fases da nossa vida.
    Obrigada pela visita.
    Big Beijos

  • Socorro Melo
    Responder

    Oi, Norma!

    O seu texto me transportou para as minhas próprias experiências, passadas e presentes, e à reflexão do que perdi ou ganhei com elas. Enfim, tudo é aprendizado. E é preciso que saibamos viver com amor, todos os momentos, pois esta é a dinâmica da vida. Foi boa essa nossa junção de pedaços de amor.

    Grande abraço
    Socorro Melo

  • Rute
    Responder

    Querida amiga,
    o amor é continuidade, assim como a vida é continuidade.
    Quem fica ancorado ao amor juvenil não deixando ele crescer e maturar, estagna no amor e na vida também.
    Você e eu sabemos que para reintegrar é preciso desconstruir conceitos e preconceitos, para de novo reerguer noutro formato com que nos identificamos mais durante o processo de evolução.
    Obrigada por estar conosco.
    Se prepara para 2013! E quem sabe se prepara para algo mais ainda dentro da BCAP!
    Votemos na continuidade.
    Beijos.
    Rute

  • Calu
    Responder

    Ficou extenso este olhar por sobre o “ombro” dando uma fiel consciência de cada fase vivida e das possibilidades ainda por viver.Vc discorreu claramente cada etapa e nos reintegrou nesta ciranda que promoveu a interação e muitas descobertas.
    Adorei, Norma.
    Bjkas,
    Calu

    OBS: consegui colocar o teu site.

  • luma rosa
    Responder

    Que gostoso te sentir plena! E assim deveria ser para todos.
    O amadurecimento emocional nem sempre acompanha a idade, mas é certo que com a idade, adquirimos segurança quanto aos nossos sentimentos e olhamos o mundo com menos ilusões e mais tranquilidade.
    Obrigada pela sua participação na coletiva e como disse a Rute, se prepara!! 🙂
    Beijus,

  • Adao Braga
    Responder

    Texto de 2009 é? Está atual! E obrigado por compartilhar!

  • Isabel Matos
    Responder

    Digo também, que gostoso sentir sua tranquilidade e integridade, sua plenitude!
    Grata pelo seu texto
    Um abraço
    Isabel

  • maria luiza
    Responder

    Linda retomada vc fez, levando-nos a relembrar também o que já se passou conosco de uma maneira gradativa, mas agradável também. Gostei muito quando ao finalizar vc aborda a fase da terceira idade e diz: “Uma boa auto-imagem e o amor próprio são os alicerces para uma vida pessoal e interpessoal saudáveis.” É isso mesmo! Grande abraço!

  • liliane
    Responder

    Norma…
    levo este grande ensinamento: Uma boa auto-imagem e o amor próprio são os alicerces para uma vida pessoal e interpessoal saudáveis.

    parabéns por compartilhar sua experiência conosco.
    Um abraço com carinho….

  • Toninho
    Responder

    Quando se vive cada etapa em sua plenitude e sapiencia adquire-se esta paz e tranquilidade de vida. Parabens Norma,otima partilha.
    Carinhoso abraço de paz e luz.
    Bjo.

  • Bel Rech
    Responder

    Norma é sempre muito bom seus textos, são tão intensos e ricos nos detalhes.O tempo vai nos ensinando e os caminhos surgindo, deles temos duas opções, eu acredito, seguir e não seguir…
    Paz e bem

  • Roselia Bezerra
    Responder

    Olá, Norma
    “UMA GOTA DE ORVALHO NA BORDA DO CÂNTARO”

    Extremamente cansada mas reintegrada… cheguei hoje da Missão…
    Sou-lhe grata e a Deus por ter dado tudo certo.
    Obrigada por termos chegado ao fim da BCAP.

    AMAR O OUTRO É RENUNCIAR POSSUÍ-LO, MESMO MORTO”.
    Abraços fraternos de paz
    P.S. Prolonguei até o dia 25 o convite que lhe fiz por e-mail, tá???

  • Valéria
    Responder

    Oi Norma!
    Que trajetória linda e bem arrematada. Você nos presenteou com este depoimento sensível e inteligente nos fazendo viajar por nossas etapas de vida e nos mostrou a bela mulher que você é. Parabéns!
    beijinhos!

Sua visita e comentários são muito significativos. Volte sempre.

Get Adobe Flash player
%d blogueiros gostam disto: