BC- Amor aos Pedaços – 3. Fase

Esta é a minha participação na blogagem coletiva Amor Aos Pedaços sob a coordenação das amigas Luma ROSA;   ROSÉLIARUTE, em sua terceira fase – Esperança.

amor_aos_pedacos34

Há palavras que compõem o curso da nossa vida. Para mim esperança faz parte da forma como me coloco diante da vida. Escolhi um conto que para escrevê-lo me baseei numa histórica veridica .

É uma reedição, mas considerei própria para compartilhar nesta etapa da BC.

Recria tua vida. Sempre, sempre. Remove pedras e planta roseiras e faz doces. Recomeça.”

Cora Coralina

No conto fios traçados de uma trajetória.

Renascimento


Seu nascimento veio marcado por uma anomalia. Passou meses e meses com as pernas imobilizadas por gesso. Seu desenvolvimento truncado e cerceado por suas limitações físicas.  Passaram- se os anos e uma profunda tristeza foi tomando conta de seus dias. Não houve infância e a adolescência foi com poucos sonhos e amores.  Certo dia, quis ter algo só seu e foi em busca de um animalzinho de estimação. E  lá estava ele, olhando-a e remexendo o rabinho e ela exclamou: é este!

Por alguns anos seu fiel cãozinho lhe saudava ao amanhecer e se aconchegava aos seus pés ao dormir. Uma sensação de bem estar lhe acompanhava. Contudo, nada dura para sempre, ele se foi. Adoeceu e não resistiu. Ela se manteve em sua estrada, amargando a solidão, sem conseguir se afogar em prantos. Seu organismo sucumbiu e rapidamente aos trinta e sete  anos entrou num processo de envelhecimento precoce.

Em meio a tudo isto, a música, seu violoncelo, que não fora sua escolha, mas sim do pai, expressava-se lindamente, integrando-se aos demais instrumentos da orquestra da qual fazia parte, e transmitindo ao público a beleza do seu ser. Porém ela não se apercebia e só tristeza sentia.

Certo dia,  não pode mais tocar, pois seu ombro direito se enrijecera não dando mais comando ao braço. Neste momento, surge em meio a sua dor uma voz que lhe sussurra: desenterre seu tesouro. Cave, cave um pouquinho a cada dia. Traga o cuidado, o prazer por você mesma, pois eles estão aí esperando ansiosos o seu renascer. Surpresa gostou e aceitou o que ouviu. Quando a luz do sol irradiou, mostrando o seu apogeu, o seu sorriso brotou celebrando a vida.

A infância e adolescência se foram, não tinham volta, mas a vida se mantinha e com ela o surgir de cada dia trazendo-lhe esperanças renovadas.

Encerro este post com um trecho da Música, em audio abaixo, Cor da Esperança (Tradição)

Saber que se pode querer que aconteça,
Esquecer os medos, jogá-los pra fora.
Pintar sua cara com a cor da esperança,
Tentar o futuro com o coração
“.

Grata amigas pela oportunidade de compartilharmos nestas blogagens  sobre temas tao significativos na vida do ser humano.

Norma Emiliano

Comments

  • sandra portugal
    Responder

    Juntas na esperança!
    bjs Sandra
    http://projetandopessoas.blogspot.com//

  • Roselia Bezerra
    Responder

    Olá, Norma querida
    “O que me importa o tempo e o espaço,
    Se trilhei caminhos orvalhados
    Em busca do calor do teu abraço?”
    (Auxiliadora)

    Me identifiquei muito com o seu post até agora… estou jardineira e cheia de esperança… também plantando rosas… (literalmente)…
    Esperança sem fim!!!

    Concedei-lhe, ó Deus, prodigamente, o ORVALHO DO CÉU…
    Até o próximo mês, se Deus quiser!!!
    Abraços esperançosos de paz

    “Jamais desista de ser feliz, pois a vida é um espetáculo
    imperdível, ainda que se apresentem dezenas
    de fatores a demonstrarem o contrário.”
    Fernando Pessoa.

  • Yasmine Lemos
    Responder

    Oi Norma tentei entrar no blog do Toninho mas está sem nada ,todo em branco..
    bjs

  • chica
    Responder

    Puxa, Norma! Que lindo texto. Emocionante e tão verdadeiro. Estava tudo ali, bastava desenterrar a cada dia, um pouco de cada vez. LINDA participação!! beijos,tudo de bom, obrigado pelo carinho!chica

  • maria luiza
    Responder

    Nossa! Que lindo! Amei a parte da voz sussurrando para cavar! Grande abraço! Parabéns pela linda participação!

  • elviracarvalho
    Responder

    Um texto muito bonito. Baseado numa história real é muito mais importante, porque nos mostra que milagres acontecem todos os dias, não são só invenção de prodigiosa imaginação da mente de algum escritor.
    Obrigada pela visita ao Sexta. O meu conto também tem por inspiração uma história real passada em 2005.
    Um abraço

  • Toninho
    Responder

    Linda sua participação Norma com beleza de ilustração poetica,para bem definir esta esperança, da qual somos filhos,pais e vizinhos.Somos esperanças sempre por ela ser esta alavanca que nos faz deslocar as barreiras desta vida.
    Parabens pela inspiração. Tenho otimas participações por aqui.
    Meu abraço de paz e luz.
    Vi acima uma observação da Yasmine, mas vi comentario dela na minha pagina, deve ser mais uma maluquice do blogger.
    Meu abraço.
    Bjo.

  • Teté
    Responder

    Gostei muito da história. Não vale a pena chorar sobre leite derramado, mas vale que um dia se fez luz e descobriu que não era tarde e a solução residia dentro dela. Aliás, nunca é tarde! 🙂

    Beijocas!

  • Clara
    Responder

    Oi, Norma….
    Também já agradeci muito à elas pela participação…
    Tantos posts lindos, tantas vivências…. tantos exemplos e tantas esperanças… uma segurando a outra, uma apoiando a outra…
    Que história linda…. de amor, de fé….

    Beijos

  • Mary
    Responder

    Que história comovente, ainda bem que ela ouviu a voz, e seguiu, esperança sempre.
    Beijos

  • Valéria
    Responder

    Oi Norma!
    A esperança é mesmo bela! Lindo conto e se é real que maravilhas faz a esperança!
    beijinhos!

  • Rute
    Responder

    Oi querida Norma.
    Maravilhoso conto simbolizando a esperança que nunca morre e que nos dá força para desenterrarmos as melhores coisas da vida, soterradas entre tristezas e lamentos.

    A vida tem muitos tesouros por descobrir. Não podemos perder a esperança de encontrá-los.
    Beijinhos e abracinhos.
    Rute

  • manuela barroso
    Responder

    Olá Norma!
    Se não fosse a esperança para renascer um pouco cada dia será que o sorriso ainda sobrava para nos acompanhar com a famíla até ao repouso da noite?
    Plantar flores ou sonhos ou sorrisos alimenta o nosso caminho!
    Grande abraço

  • Lu Souza Brito
    Responder

    Norma,

    A Esperança nos salva até da morte, ou, do que em alguns casos pode ainda ser pior – morrer em vida!

    Um abraço

  • Socorro Melo
    Responder

    Norma,

    Que conto lindo! Triste, mas, lindo… Não sei o que seria de nós sem a esperança… Sei sim, a vida seria um triste lamento.
    Que bom que a protagonista do seu conto se apercebeu disso a tempo, se encheu de esperanças, e ressurgiu para a vida…

    Maravilha!

    Beijos
    Socorro Melo

  • luma rosa
    Responder

    Quem sabe é por isso que encontramos tantas pessoas amargas! Ninguém mais faz doce, o mundo vive em estado de dieta!
    A frase de Cora Coralina é resposta ao conto. Duas pessoas que vivem a mesma situação, invariavelmente procedem de maneiras diferenciadas, pois a conduta é somatório do nosso pensar. Cavar, cavar, cavar… jamais paralisar, pois além da esperança, precisamos lutar para o cumprimento de nossos ideais.
    Obrigada por ter participado mais uma vez da coletiva!! Beijus,

  • Calu
    Responder

    Oi Norma,
    voltando hoje a interagir nesta semana festiva de coletivas maravilhosas, encontro aqui um conjunto tocante de poesia e prosa derramando os sentidos da palavra Esperança em suas múltiplas formas e sinônimos:cavar em nós, recomeçar a cada dia, renovar sempre, reconstruir muito, acreditar e esperar_Esperança.
    Muitas verdades, grandes reflexões.
    Bjos
    Calu
    PS: irei na roda, viu?

  • Valéria Miguez
    Responder

    Oi Norma!

    Só hoje que estou dando retorno ao carinho de vocês a minha participação nessa Blogagem Coletiva com o tema esperança. Grata! E pedindo desculpas pela demora!
    Vou colar aqui o motivo que deixei escrito lá:

    “Olá aos da Blogagem Coletiva Amor aos Pedaços!
    Primeiro trazendo minhas desculpas por essa demora no retorno! Como vocês são novas por aqui, nesse meu blog pessoal, farei um breve resumo de coisas que já contei em algums postagens. É que por voltar a morar sozinha, e com a grana muito curta, eu é que faço todo o serviço de casa. Por conta do esforço, muita das vezes, no final do dia, meu corpo pede mais se esticar na cama. Ficar um tempo a mais sentada, e então vir para o computador, me leva a tentar administrar, priorizar o que tenho que fazer. Esse blog fica até desatualizado. Porque um outro que eu criei, o http://cinemaeaminhapraia.com.br/ , até por ter virado um blog coletivo, meu pouco tempo fica quase todo cuidando dele.
    Agora, agradecendo toda essa participação! Grata!
    Darei um retorno a todas aqui. Assim como retribuir a visita, se não der a todas hoje, eu continuarei amanhã e depois. É que eu também digito devagar.
    Um beijo grande!”

    E bem legal a sua participação!
    Cora Coralina por si só já é um belo exemplo de se ter esperança nas pessoas!

    Beijos grande,

Sua visita e comentários são muito significativos. Volte sempre.

Get Adobe Flash player
%d blogueiros gostam disto: