A juventude

A Juventude poster nacional

Filme que se reporta a comportamentos diante do envelhecimento. Apresenta uma paisagem belíssima,  um Hotel de luxo próximo aos Alpes suíços, tendo como fundo musical a trilha sonora de David Lang  maravilhosa. A trama tem momentos de comoção  através dos personagens principais que representam posturas diferentes em relação ao modo de conduzir a vida e a  emoção.

Gostei muito .

 

Sinopse

 

“Fred (Michael Caine) e Mick (Harvey Keitel), dois velhos amigos com quase 80 anos de idade cada, estão passando as férias em um luxuoso hotel. Fred é um compositor e maestro aposentado e Mick é um cineasta em atividade. Juntos, os dois passam a se recordar de suas paixões da infância e juventude. Enquanto Mick luta para finalizar o roteiro daquele que ele acha que será seu último grande filme, Fred não tem a mínima vontade de voltar à música”. Fonte

Imagem Net.

Aproveito o tema para levantar um debate:

A recordação da juventude é um recurso que traz ambiguidades; para alguns é retomada de vitalidade, para outros um saudosismo que paralisa.

Envelhece -se como se vive. Verdade ou mentira?

Quando é tempo para o recomeçar?

Agradeço a participação. bjs

Comments

  • misturebasblog
    Responder

    Norma, esse filme deve ser muito bom. Do tipo que gosto!
    E penso que não adianta tentarmos recuperar a juventude. O que foi vivido ,passou. Ficamos com as recordações e temos que aceitar as perdas que a idade nos traz. Com elas seguir e cada dia é UM dia, cheio de possibilidades e também estas, independent da idade, devem ser criadas e então vividas!@

    Linda semana! bjs, chica

  • toninhobira
    Responder

    Bom dia Norma, uma sinopse interessante deste filme próximo da realidade de muitas pessoas no avançar da vida.A vida que se leva em sua plenitude, executando cada etapa pode nos levar a uma maturidade sem muitas queixas de tempo passado, mas pode também deixar um forte saudosismo, que pode nos acompanhar até a morte,tipo este que dizem estar nas gerações 50 e 60. Um saudosismo que diria até poético, que historicamente pode até ser entendido como uma inovação de vidas pós o medo da guerras mundiais e os avanços tecnológicos e exercício de direito mais aberto.Talvez seja real envelhecer-se como se vive pois advém daí toda carga que acumulamos desta vida entre as subidas e descidas e creio, que isso reflete com tempo. Já recomeçar sempre Norma, quando se pensa, que novos sonhos são realizáveis.
    Um bom assunto para uma roda de reflexões.
    Vamos ver como pensam os amigos.
    Boa semana.
    Bjs

  • Neli Cabral
    Responder

    Olá, Norma, no meu ponto de vista, a juventude não trás saudosimo, nem paralisia. É a história de cada um, que deixou suas marcas e que sempre vai contribuir nas escolhas durante o caminho da vida. Recomeçar, reconstruir, renovar sempre que julgarmos necessário! Bjs

  • Ailime
    Responder

    Boa noite Norma,
    O filme deve ser muito bom!
    Não penso muito na juventude, porque não acrescentou muito ao que sou hoje.
    Acredito sim que nunca é tarde para recomeçar e que se envelhece como se vive. Há pessoas que “já nasceram velhas”. Não sei se é correcta esta minha expressão, mas sinto isso em algumas pessoas que conheço na sua forma de pensar e agir.
    Gostei de participar no debate.
    Beijinhos,
    Ailime

  • Marly
    Responder

    Olá, Norma,

    O tempo sempre foi tema do meu interesse, em todas as suas facetas, por isso gostei deste post. Acho que a julgar pelo que a gente vê no mundo, a juventude traz sim saudosismo para muita gente. Penso que é essa a razão de as pessoas idosas (homens principalmente) escolherem muitas vezes outras bem mais jovens, quando se casam na maturidade. Todavia, pessoalmente, eu acho que todas as idades têm os seus – digamos assim – pontos fortes e fracos, e sabedoria para mim é a gente ter muita consciência disso. Quando jovens temos o melhor da força e da aparência física, mas nos o falta o discernimento e a capacidade de ponderação. E quando idosos temos mais desses últimos atributos e menos dos primeiros, rsrs.

    Um beijo

  • Lúcia Soares
    Responder

    O filme parece bom, Norma. Gosto desses confrontamentos, mas o tempo não volta e o que foi feito, está feito. Da mesma forma, o que não foi feito, pode ser que não seja mais viável. Tempo sempre há, a vida é enquanto se está vivo.
    Gosto dos dois atores, então é um filme para ser visto.
    Não penso no que passou, até pq tenho pouca memória do meu passado e não criei expectativas na vida, então só agradeço a vida que tenho.
    Beijo, Norma.

  • Anete
    Responder

    Bom Dia, Norma.
    Certamente é um bom filme!
    A idade avança e chegamos a muitas reflexões… A fase do envelhecimento faz parte da vida, mas vêm sentimentos de mudanças, despedidas… Conflitos que se bem “equilibrados” tornam-se bênçãos felizes!
    Cativar um espírito alegre e acompanhar o Admirável Mundo Novo fazem muito bem…
    Abração
    (Obrigada pela visita no Vida & Plenitude)

  • verena
    Responder

    O filme mencionado deve ser muito bom, Norma
    Confesso que muitas vezes tenho saudades da minha juventude, porém procuro aproveitar o que a “melhor
    idade” tem a me oferecer.
    Me esforço para não me tornar uma velha chata…rs
    O meu lema é viver um dia de cada vez.
    Desejo uma boa noite,querida
    Um forte abraço de
    Verena e Bichinhos.

  • allan170882
    Responder

    Bela dica!

Sua visita e comentários são muito significativos. Volte sempre.

Get Adobe Flash player
%d blogueiros gostam disto: